PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Comércio aposta na redução das garantias de crédito

2017-07-06 01:30:00

O comércio conseguiu nas últimas semanas duas medidas do governo que atendem reivindicações antigas. A primeira foi a diferenciação de preços de acordo com o meio de pagamento (dinheiro, cartão ou crédito); a outra, o destravamento da proposta do cadastro positivo.


Os primeiros passos para esta última medida foram dados ontem, com o projeto de mudança do sigilo bancário. O presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, em entrevista à coluna, defendeu a proposta como o caminho para a redução dos juros.


A ideia do governo é permitir a abertura dos dados bancários de crédito dos correntistas para os gestores dos bancos de dados, como o Serasa e Boa Vista SCPC. Através das informações mais precisas fornecidas às administradoras de crédito, Honório acredita que será possível diminuir os juros, já que o risco será menor.


A aposta é na redução dos valores cobrados pelas garantias de crédito, o que tornaria as taxas dos financiamentos mais amigáveis.


CADASTRO POSITIVO 1


INFORMAÇÕES SOBRE OS BONS PAGADORES


Honório Pinheiro lembra que o País possui uma inflação controlada, exportações com repique de crescimento, mas os índices de desemprego são difíceis de lidar. Com as informações sobre a situação bancária dos clientes, será possível saber quem tem condição de pagar e não só quem está negativado.


O projeto tornaria os juros quase individualizados. Ou seja: você pagará uma taxa menor se estiver em dia com seus empréstimos e compras. O governo ainda está concluindo a proposta e, pelo que foi divulgado até agora, não pretende quebrar o sigilo bancário, mas afrouxar algumas regras.


CADASTRO POSITIVO 2


CRÉDITO MAIS CARO OU MAIS BARATO?


A proposta de criação do cadastro positivo é polêmica. Os órgãos de defesa do consumidor sempre se colocaram contra a medida, afirmando que não há garantias sobre a redução dos juros.


Outro temor em relação à proposta é que podem começar a surgir modalidades de créditos mais caras para pessoas com menor renda, já que essas representariam um risco maior para as instituições financeiras.


CADASTRO POSITIVO 3


USO DE INDICADORES


O SPC Brasil e CNDL trabalham atualmente com um indicador de uso de crédito. Em maio, 25% dos brasileiros tiveram crédito negado. Uma das principais razões para isso foi a inclusão no cadastro de inadimplentes ou a falta de comprovação de renda. Os números mostram o comportamento mais restritivo por parte dos credores.


Apesar disso, tem aumentado a intenção de compra, segundo os indicadores do setor, o que reflete a demanda reprimida no comércio e as dificuldades das famílias.


UNIMED


CARIRI GANHARÁ HOSPITAL DE ALTA COMPLEXIDADE


A Unimed Ceará vem cumprindo seu plano de criação de infraestrutura hospitalar no Interior. Uma semana após a inauguração do Hospital Vale do Jaguaribe, o projeto de instalação de unidade de alta complexidade no Cariri começa a ganhar corpo.


O presidente da Unimed Ceará, Darival Bringel, conta que já foi adquirido um terreno em frente à Universidade Federal do Cariri, em Juazeiro do Norte, e na próxima segunda-feira será discutido o projeto arquitetônico do hospital.


A obra tem um orçamento de R$ 40 milhões e é fruto de uma parceria entre a Unimed Cariri e a Ceará Saúde Participações, holding da Unimed Ceará. O hospital terá 200 leitos e pretende atender a região e também parte da clientela de Pernambuco e da Paraíba.


BNDES


ALÍVIO NAS CONTAS


O Ceará ficou fora do saco de bondades do Governo Federal, que aliviou as dívidas de grandes devedores. Atualmente, o BNDES é o maior credor do Estado, responsável pelo financiamento de grandes projetos, vindo logo depois o Bird.


Apesar disso, o secretário de Fazenda, Mauro Filho, diz que conseguiu o alívio necessário no caixa para manter os investimentos. Com o financiamento de R$ 1,1 bilhão conseguido junto ao Banco do Brasil, haverá recursos suficientes para pagar as dívidas e realizar os projetos do estado.


O homem vestido com cuidado e apuro é um homem que também avalia o dinheiro com cuidado e apuro”

Herry Lipsig (1886-1979), advogado norte-americano

RÁDIO


O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 14 horas. Destaque para o quadro “Sobe de desce da economia”, com o jornalista Nazareno Albuquerque.

 

TV


Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

TAGS