Participamos do

Reforma trabalhista: virada de jogo surpreende mercado

01:30 | Jun. 21, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O mercado vinha ensaiando uma tentativa de descolamento dos fatos políticos e econômicos, mas ontem sucumbiu novamente a realidade: o Brasil é realmente imprevisível. A possibilidade de rejeição do texto da reforma trabalhista pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado não tinha sido precificada. A aprovação do projeto era dada como certa.


Mesmo com a fragilidade do governo Temer, as propostas de reformas vinham seguindo no Congresso e a equipe econômica era mantida sem nenhum grau de constrangimento, quase que com uma administração paralela.
A derrota do governo comprovou ontem que o jogo não está ganho.


Por essa razão, o dólar subiu 1,27% em relação ao real e as ações das empresas brasileiras caíram, prevendo já maiores custos caso o projeto não passe. Os investidores viram que a estratégia no Brasil pode ser diferente: embora a reforma possa seguir e ser aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e no plenário, foi comprovado ontem que ainda há reação de setores da sociedade que não vinham sendo levados em conta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Como se diz no futebol, o jogo só acaba quando o juiz apita.


PERT 1


REFIS MAIS ATRATIVO PARA OS PEQUENOS


O Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), chamado também de “novo Refis”, pode ser um alento para as empresas que estão em dificuldades. Desta vez, o governo resolveu dividir o programa entre as companhias com débitos superiores e inferiores a R$ 15 milhões.


Na avaliação de Francisco Coutinho, diretor da Associação dos Contabilistas do Estado do Ceará (Acdontece), o benefício é mais interessante para quem tem dívidas menores.


PERT 2


PARCELA MAIS ALTA


Para quem tem dívida inferior a R$ 15 milhões, a entrada é de 7,5%, podendo ser dividida em cinco parcelas. Neste caso há três opções: quitar os débitos com desconto de 90% dos juros e 50% das multas a partir de janeiro; pagar em 145 meses, com redução de 80% dos juros e 40% da multa; ou parcelar em 174 vezes com redução de 50% dos juros e 25% da multa.


Quem estiver na dívida ativa, segundo o contabilista, tem a vantagem de poder dar um bem (avaliado com preço de mercado) para quitar o débito. No caso das grandes companhias, a entrada no programa é bem mais pesada (20% do total dos tributos não pagos). O prazo para adesão vai até 31 de agosto.


BNDES


CARTEIRA DE TÍTULOS PARA INVESTIDORES


O presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, um liberal convicto, anunciou ontem que estuda a criação do “BNDES direto”. O programa criaria facilidades para a compra de títulos do governo por pequenos investidores. Seria algo semelhante ao que faz atualmente o Tesouro Direto, mas focado em transações de papéis da carteira do banco. Certamente terá uma longa carteira de títulos para dispor para os investidores.


CONSULTORES


CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL


O empresário Eduardo Gomes de Matos está fazendo uma sondagem para saber o interesse dos consultores nordestinos em obter uma certificação internacional. A partir de setembro deve ser oferecido curso para esse mercado, através de uma parceria entre a MCI (Management Consulting Institute), a IXL Innovation Excellence and Leadership e a Gomes de Matos Consultores. Dependendo do número de interessados, será definido o valor do investimento.


PPPS


CURSOS DO BID PARA BRASILEIROS


O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) está com inscrições abertas para o primeiro curso de Parcerias Público-Privadas para o Desenvolvimento. As aulas pretendem implantar soluções no Brasil e são totalmente em português, gratuitas e online, através da plataforma digital edX.


Detalhe: trata-se de uma parceria entre a Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).


RECEITA FEDERAL


TROCA DE EXPERIÊNCIAS


O superintendente da terceira Região Fiscal da Receita Federal, João Batista Barros, pretende intensificar os trabalhos de inteligência e as estratégias de combate à evasão fiscal. Ontem, em entrevista ao O POVO Economia, ele destacou a troca de experiências com outras regiões para a melhora dos métodos de trabalho da instituição.


A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes”

Winston Churchill (1874-1965), ex-primeiro ministro britânico

 

RÁDIO


O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 14 horas. Destaque para o “Atacado e Varejo”, com o jornalista Eliomar de Lima.


TV


Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente