Participamos do

Distribuidoras de combustível querem licenças para o Mucuripe

01:30 | Fev. 25, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O impasse entre as empresas responsáveis pela tancagem de combustível no Porto do Mucuripe e o governo do Estado permanece. As companhias tentam a renovação das licenças para manter as suas atividades até a construção da nova área no Porto do Pecém, mas até agora as conversas não avançaram.


O projeto do governo na área de tancagem é considerado algo visionário, com uma proposta de transformar o local em algo semelhante ao que há em Puerto Madero, em Buenos Aires. O problema é que as distribuidoras não sabem o que fazer até a conclusão do projeto, cujas obras estão previstas para terminar em seis anos.


Quinta-feira, a presidente da Comissão de Direito Marítimo, Portuário e Aeroportuário da OAB, Rachel Philomeno, esteve reunida com o secretário Élcio Batista. Ela ressalta que não houve abertura para o diálogo e o problema deve parar na justiça. Algumas empresas reclamam que, sem as licenças, passaram a ter dificuldades até com a renovação de seguros de caminhões na área.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A falta de abertura para conversa, segundo Rachel, impacta nos preços dos combustíveis que acabam mais caros em função da dificuldade para a estocagem. O processo também desmotiva companhias a operarem no Ceará e algumas migram para outros estados: um exemplo seria a Raízen, que investe no Porto do Itaqui, no Maranhão.


Apesar do impasse e dos problemas com as licenças ambientais, a Companhia Docas garante que estão mantidas as operações das empresas.


PECÉM


VELOCIDADE PARA O PROJETO


Em entrevista à coluna, o secretário Élcio Batista afirma que as empresas estão sendo ouvidas e que o governo quer garantir velocidade na transferência da tancagem para o Pecém. “Nós queremos que as empresas sejam parceiras. A saída para o Pecém trará grandes benefícios econômicos e sociais para o Ceará e, especificamente, para Fortaleza”, acrescenta


AGENDA


FORTALECIMENTO DO MERCADO


Instituições do mercado estão construindo uma agenda de fortalecimento do setor. Quinta-feira, representantes do Ibef-CE, IBGC e Apimec fizeram uma primeira reunião de alinhamento das entidades e de identificação dos pontos de convergência.


A intenção do grupo é unificar os discursos e garantir celeridade aos projetos. A ideia de construção de uma agenda conjunta partiu do consultor Raimundo Padilha, último presidente da Bolsa de Valores Regional. O encontro contou com a participação, também da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha no Ceará e do consultor Joaquim Perúcio, que assumiu a direção de estratégia e planejamento da Apimec.


UNIMEDS 1


CRESCIMENTO DE 2%


Os planos de saúde em todo o Brasil sofrem com a perda de clientes em função da crise. Pelos dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a redução foi de 192,2 mil beneficiários somente em janeiro.


Apesar disso, o Ceará está entre os estados que tiveram menos prejuízos. O presidente da Federação da Unimeds do Ceará, Darival Bringel, afirma que em 2016 houve um crescimento de 2%, mesmo com o aumento do desemprego.


Ele explica que o resultado deve-se ao perfil dos clientes das cooperativas. “Trabalhamos com um público A e B, que sente menos a crise”. No caso da Unimed Ceará, ele conta que o crescimento foi de 7%.


UNIMEDS 2


PROJETOS DE AMPLIAÇÃO


A Federação das Unimeds reúne as Unimeds Ceará, Cariri e Sobral. Darival explica que as cooperativas não perderam clientes e pretendem ampliar sua estrutura. As três operadoras possuem 70 mil vidas e esperam crescimento maior em 2017.


No dia 7 de abril, será inaugurado o hospital de Limoeiro do Norte; há projetos ainda para o Hospital Regional de Juazeiro do Norte e para a Policlínica da Serra da Ibiapaba.


UNIMEDS 3


CONGRESSO MÉDICO


No próximo dia três, a Unimed Fortaleza realizará o seu primeiro congresso médico, reunindo várias especialidades. O evento pretende oferecer propostas de abordagens científicas de impacto social.


SKYLER


20 ANOS


O empresário Emílio Guerra comemora hoje os 20 anos da marca Skyler, que tem uma história curiosa: o nome da rede de lojas foi inspirado no filho de Craig Nichols, irmão americano de Emílio e um dos diretores da marca.


Craig esteve no Brasil para a inauguração da primeira loja Skyler e duas décadas depois vem para comemorar os 20 anos da marca, que possui atualmente 56 lojas no Norte e Nordeste.


Se você tiver que provar que merece o seu crédito, ele já desapareceu”

Walter Bagehot (1826-1977), jornalista e escritor britânico

RÁDIO


O POVO Economia da Rádio OPOVO/CBN (95.5), a partir das 14 horas, de segunda a sexta.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente