PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Famílias dependem mais de aposentadoria

01:31 | 09/08/2018

Em aproximadamente 5,7 milhões de residências brasileiras a aposentadoria corresponde a 75% da renda familiar. O número foi calculado através de estudo da LCA Consultores, que comprovou uma elevação de 12% dessa dependência com o crescimento do desemprego no último ano.

 

A situação é preocupante e mostra a urgência na criação de uma poupança interna. No Brasil, até o momento, não há uma preparação para o aumento da longevidade. E, com o quadro recessivo, falar em criação de poupança parece uma utopia, quando as pessoas lutam para pagar suas dívidas. Apesar disso, consultores alertam para uma situação bem mais complicada a médio e longo prazo, caso nada seja feito agora.

 

O CEO da Ciclic, fintech de previdência complementar criada pela BB Seguridade e pela norte-americana Principal Financial Group, Raphael Swierczynski, afirma que o primeiro passo é conscientizar as pessoas para a necessidade de guardar algum dinheiro. Mesmo quem está na informalidade precisa se preparar. "Quem não está pagando nada, vai receber nada na aposentadoria", acrescenta.

 

"Eu tenho três filhos e nenhum dinheiro. Por que não posso ter nenhum filho e três dinheiros?”Homer Simpson, personagem de Matt Groening, cartunista norte-americano

 

Discursos de candidatos

 

MODELOS PARA A SOLUÇÃO DA PREVIDÊNCIA

Os modelos para a solução do rombo do orçamento da previdência têm variado de acordo com as ideologias dos candidatos, mas o assunto é recorrente em todos os discursos. Em conversa com a coluna, Raphael Swierczynski explicou que ainda não consegue avaliar a profundidade dos discursos.

 

Para ele, é preciso algo drástico para ser realizado nos primeiro três meses de mandato de quem conseguir ganhar as eleições. "Teria que igualar a previdência do setor privado e estatal".

 

BURACO DA INFORMALIDADE

 

REDUÇÃO DE BENEFÍCIO

O somatório de um cenário de aumento da informalidade com problemas graves no orçamento da previdência pode criar um problema social que ainda não é possível de ser dimensionado. Na opinião do CEO da Ciclic, Raphael Swierczynski, não há muitas alternativas: "Ou se reduz o benefício ou se aumenta o valor pago", conclui.

 

A inclusão de pessoas que estão na informalidade nessa conta da previdência, no momento, não é nem cogitada com a elevação do desemprego. A plataforma Ciclic tem feito levantamentos e percebe que há um aumento das pesquisas sobre previdência, mas o número de pessoas que efetivam planos para a aposentadoria ainda é considerado pequeno.

 

RÁDIOO POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 14 horas, de segunda a sexta.

 

FACEBOOKCurta a nossa página: facebook/opovocbn

 

TVVocê pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

Negócios do Carnaval

 

CEARÁ SERÁ TEMA DA UNIÃO DA ILHA

A história do Ceará será cantada pela escola de samba União da Ilha, cujo tema do Carnaval de 2019 será "a peleja poética de Raquel e Alencar no avarandado do céu". Elementos da cultura local serão ressaltados através da literatura de Raquel de Queiroz e José de Alencar.

 

Para entender melhor as oportunidades que podem surgir com a vitrine midiática, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) receberá hoje a presidência da União da Ilha para almoço. Serão apresentados um plano de marketing e números sobre as possibilidades de retorno para o Estado.

 

Comércio e serviços

 

DEBATE COM OS CANDIDATOS

A Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel-CE), presidida por Rodolphe Trindade, será uma das instituições participantes do evento Diálogo, que ocorrerá no próximo dia 14, em Brasília, com os candidatos à Presidência da República

 

O debate, promovido pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), reunirá mais de 500 líderes e empresários, e será transmitido ao vivo pelas oito entidades que compõem a instituição. A pauta das perguntas envolverá: área de comércio e serviços; eficiência do estado; ambiente de negócios; urbanismo e serviços essenciais; e garantia dos direitos.

 

Expansão

 

SERVIS NO PARÁ

Empresas da área de segurança também continuam sua trajetória de expansão. A Servis, por exemplo, está agora no Pará e já atende grandes instituições, como o banco Itaú. A companhia atua agora em nove estados (Ceará, Pernambuco, Bahia, Piauí, Maranhão, Minas Gerais, São Paulo, Amazonas e Pará).