Centro de eventos: Estado ouvirá setor sobre concessão
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Centro de eventos: Estado ouvirá setor sobre concessão

2018-08-20 01:30:00
NULL
NULL

O governador Camilo Santana prometeu na semana passada ouvir representantes do turismo do Ceará sobre a possibilidade de retirar o Centro de Eventos do pacote de concessões.

 

Este aceno foi comemorado por algumas lideranças, preocupadas com as consequências do processo no setor. A concessão do Centro de Eventos, que parecia inicialmente uma ótima oportunidade de profissionalização do espaço e de atração de grandes eventos, é vista agora com desconfiança.

 

Motivo: a experiência no Riocentro, que passou a ser administrado por uma grande empresa do setor, gerando insatisfação entre os promotores de eventos devido ao seu modelo de gestão.

O problema é que as companhias de maior porte normalmente trabalham com a criação de um combo de serviços, onde tudo passa a ser gerido pelo ganhador da concessão. Com isso, as pequenas empresas acabam ficando fora do negócio.

Para o Ceará, isso poderia representar a falência de muitas empresas.

 

|Vale do Silício|

ENTREGA DE PIZZA SEM ENTREGADOR

 

Especialistas em Governança Corporativa filiados ao IBGC estão nos Estados Unidos, visitando empresas que estão conseguindo avanços tecnológicos (Google, Tesla, Pay&Pal, Netflix, SAP).

 

O consultor Wilton Darher, que faz parte da comitiva, conta que o grupo tem assistido palestras em algumas universidades americanas. As palavras mais citadas nessas ocasiões, segundo Darher, são "disrupção", "mobilidade" e "startups".

 

Um dos exemplos, mostrado em vídeo, mostra um carro autônomo (sem motorista) que faz delivery da pizza Domino's. Por telefone, encomenda-se, paga-se no cartão e recebe-se uma senha que é digitada no próprio veículo que fará a entrega da pizza.

Faltam agora os especialistas explicarem quais serão os novos empregos e quem vai comprar a pizza, com a redução da oferta de trabalho.

 

|Farmácias|

CONCENTRAÇÃO NO MERCADO

 

Em cada esquina de Fortaleza surge uma farmácia nova de uma grande rede nacional.

 

Enquanto isso, pequenas empresas amargam queda no faturamento e dificuldades para sobreviver. Ou seja: assistimos a um processo de concentração no mercado.

 

Representantes de pequenos estabelecimentos tiveram recentemente reunião na Secretaria da Fazenda do Estado sobre a concorrência considerada predatória.

 

|Corecon|

DESAFIOS AO DESENVOLVIMENTO NO CEARÁ

 

O Conselho Regional de Economia do Ceará fará um ciclo de palestras sobre desenvolvimento econômico no estado. A programação começa hoje, com evento no Centro Universitário Unifanor Wyden.

 

O presidente do Corecon-CE, Lauro Chaves, reunirá representantes das principais universidades de Fortaleza, Sobral, Iguatu e Crato para discutir desafios da economia local.

 

 

TURISMO DE EVENTOS

[FOTO1] 

Inicialmente era esperado um faturamento de R$ 180 milhões com o repasse do Centro de Eventos para o setor privado. No ano passado, o equipamento captou 55 eventos que serão realizados até 2020, fechando o faturamento de 2017 com faturamento acima de
R$ 7,4 milhões.

 

A área de turismo corporativo é considerada fundamental pelo volume de recursos que movimenta e pelos empregos gerados. Conforme os dados do Simples Nacional, 81% desse mercado é constituído por micro e pequenas empresas, gerando 7,5 milhões de postos de trabalho no País. São aproximadamente R$ 67 bilhões movimentados pela cadeia produtiva do segmento no Brasil anualmente.

TAGS