Casa própria: Pacote de incentivos não empolga 

PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Casa própria: Pacote de incentivos não empolga

2018-08-04 01:30:00

O governo anunciou na terça-feira um novo empurrão no mercado imobiliário, com um pacote de estímulo para a compra da casa própria.

 

A principal medida consiste na ampliação do limite de financiamento com recursos do FGTS, de R$ 950 mil para R$ 1,5 milhão a partir de janeiro de 2019, oferecendo um aumento no perfil de imóveis que podem contar com essa fonte de recursos.

 

No pacote, também constam mudanças nas normas para obrigar os bancos a usarem os depósitos na caderneta de poupança como fonte de crédito, bem como a criação de incentivos ao financiamento de imóveis de até R$ 500 mil.

Algumas instituições financeiras já começaram a se mobilizar para facilitar o crédito em 2019. Apesar disso, no Ceará, alguns representantes da área imobiliária não acreditam em grandes melhorias. O grande fato é que, no Estado, apenas uma fatia pequena da população tem renda suficiente para adquirir imóvel no valor de R$ 1,5 milhão. Com isso, a abrangência da mudança nas regras do FGTS não seria tão impactante.

 

Outro ponto, conforme destacado pelo editor-Executivo do Núcleo de Negócios do O POVO, Raone Saraiva: há um índice grande de desemprego e subemprego que preocupa, tornando esse tipo de medida apenas uma tentativa paliativa.

 

"Não se faz política sem vítimas”

Tancredo Neves (1910-1985), político brasileiro

 

Estímulo 1

 

NOVAS REGRAS PARA FGTS EM 2019

 

Como as mudanças nas regras do FGTS só ocorrerão em 2019, há o temor de que elas não se concretizem, já que serão um novo governo e uma nova equipe econômica. O presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci-CE), Tibério Benevides, faz esse alerta.

 

Ele terá reunião na próxima semana, em Brasília, com o vice-presidente nacional de Habitação da Caixa, Paulo Antunes de Siqueira. O encontro estava agendado há 20 dias e deve tratar sobre mudanças nos feirões e nos correspondentes bancários, mas o tempo para a implantação das medidas também será discutido.

 

Estímulo 2

 

PREOCUPAÇÃO COM DISTRATOS

O volume de distratos no mercado imobiliário cearense tem sido uma preocupação recorrente. "Estão ocorrendo muitas vendas de imóveis, porém, também muitos distratos, e isso é preocupante. É preciso pensar em algo emergencial para movimentar o mercado", ressalva Tibério Benevides.

Na visão do presidente do Creci, é prematuro falar em impacto do pacote lançado na terça-feira, inclusive nos valores dos imóveis. "O ideal é que as medidas ocorressem agora. Terminaríamos o ano com um resultado melhor", acrescenta.

 

RÁDIO
O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 14 horas, de segundaa sexta.

 

FACEBOOK
Curta a nossapágina: facebook/opovocbn

 

TV
Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

Estímulo 3

 

IMÓVEIS ENTRE R$ 300 MIL E R$ 700 MIL

O presidente do Sinduscon, André Montenegro, em conversa com a coluna, disse que qualquer incentivo ao mercado imobiliário sempre é bem-vindo, embora para o Ceará o impacto não deva ser tão grande. "Acho bom ter mais uma linha de crédito", destaca.

 

Apesar disso, para desencalhar os imóveis em estoque, seriam mais efetivos possíveis incentivos para financiar imóveis entre R$ 300 mil e R$ 700 mil, os mais procurados pela classe média local.

 

Tecnologia

 

ESTUDO DO POTENCIAL DO CEARÁ

Com a implantação de cabos submarinos no litoral do Ceará, novas empresas estão sendo atraídas para atender o mercado de tecnologia no Estado. É o caso da Safetec, uma das parceiras da Google no Norte e Nordeste que chega ao Ceará. A companhia estuda o potencial do setor na economia local.

 

CIC

 

FOCO EM GESTÃO

A nova diretoria do Centro Industrial do Ceará (CIC) toma posse próximo no dia 22 de agosto, no auditório da Fiec. O novo presidente da entidade, o empresário André de Freitas Siqueira, também à frente do Sindialimentos, destaca que haverá um foco na melhoria da gestão da indústria. Ou seja: ações que melhorem o ambiente de negócios e diminuam a burocracia. A proposta da diretoria é de simplificação de modelos que facilitem a eficiência da indústria.

 

Como braço político da Fiec, o CIC também chamará os candidatos ao governo do estado para conversar e entregará um documento com propostas.

 

TAGS