PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Dívidas: Renegociação difícil, mas com 1 milhão de beneficiados

01:30 | 13/06/2018

O Banco do Nordeste informou ontem, em clima de comemoração, o número de produtores rurais beneficiados com a regularização de dívidas: 251,3 mil operações de crédito ru ral em atraso foram renegociadas em maio.

O impacto dessa repactuação foi considerável, superando R$ 9,2 bilhões, em toda a área de atuação da instituição.

No Ceará, R$ 1,1 bilhão foram renegociados, resolvendo a situação de inadimplência de 47 mil devedores. Foi preciso uma mobilização para alcançar esses números e as renegociações continuam acontecendo, mas com dificuldades.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, que também participa da campanha para a regularização das dívidas dos produtores, explica que é preciso estimular os agricultores.

“Há muito desconhecimento e, em função dos anos de seca, os produtores também estão descapitalizados”, acrescenta.

Negociação

POSIÇÃO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA

Mesmo com as dificuldades para mobilizar os agricultores, o BNB estima que as leis 13.340 e 13.606, que permitiram as renegociações de dívidas, já tenham beneficiado cerca de 1 milhão de pessoas no total. Também é importante ressaltar que o Banco do Nordeste tem uma posição diferente no mercado, em função da legislação do FNE.

O Ministério da Fazenda chegou a se colocar contra a legislação que permitiu a renegociação de dívidas em função dos possíveis impactos na arrecadação, mas essa recomendação não atingiu o BNB.

CNA

NA BRIGA CONTRA O FRETE

Os agricultores resolveram entrar na briga contra o tabelamento do preço mínimo de frete para transporte rodoviário de cargas. Ontem, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) decidiu entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir a medida, se juntando à Confederação Nacional da Indústria (CNI).

No Ceará, o saldo da greve dos caminhoneiros ainda é amargado por industriais e produtores. Flávio Saboya destaca que, em 10 dias, houve a suspensão da coleta de leite para o segmento industrial, o que representa algo em torno de 500 mil litros/dia, prejudicando a produção e a industrialização.

No caso do frango, além das mortes dos animais na estrada, houve também prejuízo com a falta de entrega de ração.

Perdas no açúcar e etanol

13 MILHÕES DE TONELADAS DE CANA

A greve dos caminhoneiros também impactou na produção de açúcar e etanol. A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) informou que foram perdidos, em média, quatro dias e meio de moagem com a paralisação. No Paraná, a quantidade de dias parados foi maior: cerca de 10 dias. A consequência imediata foi que aproximadamente 13 milhões de toneladas deixaram de ser processadas na região.

As perdas, segundo a entidade, chegaram a R$ 1,2 bilhão, com a redução da receita do setor sucroenergético.

Turismo

PESQUISA DE FÉRIAS PELO CELULAR

Levantamento feito pela empresa de tecnologia e pesquisa MindMiners constatou que 81% dos brasileiros fazem turismo por, pelo menos, dez dias por ano.

O estudo, realizado a pedido do PayPal Brasil, mostra que 94% dos viajantes pesquisam passagens e hotéis pelo smartphone. O cartão de crédito também é o principal meio de pagamento, embora tenha ocorrido aumento na utilização de carteiras eletrônicas, como o PayPal.

Preocupação

POSSIBILIDADE DE GREVE NA AIR FRANCE

Pilotos da Air France pretendem realizar paralisação entre os dias 23 e 26 deste mês. Em maio, a empresa já tinha sofrido com greve do setor, cujos prejuízos levaram ao pedido de afastamento do antigo CEO da companhia, Jean-Marc Janaillac. Amanhã haverá nova reunião do Conselho Central de Trabalhadores da Air France.

Caso tal paralisação ocorra, ela poderá vir a interferir nos voos para o Brasil, inclusive no Fortaleza-Paris, assim como ocorreu recentemente em São Paulo.

Não existe, neste mundo todo, uma superioridade real que possa ser separada de uma vida correta”

David Starr Jordan

(1851-1931), educador norte-americano

 

Rádio

O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5) a partir das 14 horas. Destaque para o quadro “Sobe e desce da economia”, com o jornalista Nazareno Albuquerque.

Facebook

Curta a nossa página: facebook/opovocbn

TV

Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.