PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Cadastro Positivo deve incluir 120 milhões de pessoas

2018-05-11 01:30:00

O comércio comemorou ontem a aprovação, na Câmara Federal, do projeto que torna automática a inclusão de consumidores e empresas no Cadastro Positivo.


Com a aprovação da lei, deve subir de sete milhões para 120 milhões a quantidade de pessoas físicas e jurídicas no Brasil tidas como consumidores. Desse total, pelos dados da Boa Vista SCPC, aproximadamente 20 milhões não têm atualmente acesso ao crédito.


A proposta ainda passará por votação de destaques e seguirá para aprovação do Senado. Com a mudança na lei, informações sobre pagamentos de contas de água, energia elétrica, gás e telefonia serão consideradas no cálculo da pontuação de crédito (chamada de score).


O ex-presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Honório Pinheiro, afirma que o Brasil é um dos últimos países do mundo a implantar o cadastro positivo. Na avaliação do empresário, o ganho inicial aparecerá na agilidade para aprovação do crédito. A esperança também é de que a mudança ajude na redução dos juros efetivos dos financiamentos e na criação de um ambiente de maior produtividade.


Em contrapartida, aumentam os riscos de vazamentos e compartilhamentos de dados, o que tem sido bastante criticado pelas organizações de defesa do consumidor.


PAGAMENTO


TUDO PELO CELULAR


O celular está se tornando um dos instrumentos mais importantes para o pagamento de contas. Honório Pinheiro, que participou da Apas Show (um dos maiores eventos brasileiros da área de supermercados), explica que a grande novidade é a difusão dos pagamentos através do celular, sem a necessidade do cartão de crédito ou débito.


Ele conta que na Europa já há o crescimento da quantidade de supermercados sem o tradicional caixa e, em São Paulo, esse modelo de loja deve chegar com força. A tendência é a disseminação dessas unidades em todo o País.


As novas tecnologias devem impactar nos modelos de empregos oferecidos. Há uma preocupação com o desemprego que pode ser gerado no setor a longo prazo. Por essa razão, grupos estudam o assunto. “Provavelmente, será preciso contratar pessoas com mais qualificação”, acrescenta.


FECOMÉRCIO


COMPENSAÇÃO DE RETROATIVOS DO ICMS


A Fecomércio lançou um serviço novo: está com uma equipe jurídica exclusiva para atender as empresas que querem recuperar créditos fiscais relativos ao ICMS, indevidamente incluídos na base de cálculo do PIS e Cofins.


Vale lembrar que esse recurso é resultado do ganho de causa de uma ação da Fecomércio, que entrou na Justiça, em 2007, conseguindo a autorização para receber créditos fiscais retroativos ao ano de 2002.


ABUSO NOS PREÇOS


TRANSPORTE PÚBLICO X CHUVA


Quer um exemplo sobre o efeito do livre mercado regulado só pela lei da oferta e demanda? Basta olhar a tarifa dinâmica cobrada pelo Uber.


Ontem pela manhã, por conta das fortes chuvas em Fortaleza, usuários do serviço sentiram no bolso o impacto da ausência de um controle do Estado. Quem era acostumado a pagar R$ 14 em determinados trechos teve de pagar R$ 32 pelo mesmo percurso (mais de 100% de acréscimo na tarifa). E os táxis? Esgotados na oferta dos aplicativos.


O setor de transporte vem mudando rapidamente com a entrada de soluções que parecem simples, como a entrada desses aplicativos, mas é preciso uma regulação mínima para que os preços não se tornem abusivos.


IMÓVEIS 1


ESTOQUE DE 1.428 IMÓVEIS


As empresas de construção civil há três anos diminuíram o ritmo de lançamentos em Fortaleza para tentar zerar os estoques de imóveis para venda. Somente no programa Minha Casa, Minha Vida havia em março um estoque de 1.428 unidades na cidade, pelos números levantados pela Lopes Immobilis.


IMÓVEIS 2


INADIMPLÊNCIA EM ALTA


O estoque de imóveis das construtoras tem afetado a inadimplência dos condomínios. Algumas construtoras em dificuldade financeira deixam para pagar as taxas cobradas pelos prédios somente depois da venda das unidades. Pessoas que compraram para investir também ficaram em situação complicada, tendo de arcar com os custos condominiais.


O diretor da empresa Atitude Serviços, Paulo Aragão Filho, explica que a inadimplência nos condomínios em Fortaleza gira em torno de 30%. Para evitar o aumento do rateio entre os condôminos, estão sendo oferecidos seguros. A administradora cobra uma taxa em torno de 3% do condomínio e recebe integralmente o pagamento de todas as unidades do prédio.


A solução é considerada vantajosa para quem tem uma inadimplência muito alta, mas deve ser bem calculada no caso dos condomínios que não têm tanto problema com a falta de pagamento.


EMPREGO


LOGÍSTICA PARA O FUTURO


A área de logística foi um dos destaques da Fiec no estudo sobre as possibilidades de geração de empregos no futuro. A atividade conseguiu avanços com o Cipp e a ZPE, e espera ampliar a sua demanda. As operadoras do porto também vêm registrando bons resultados. A Tecer Terminais, por exemplo, registrou, no primeiro trimestre de 2018, crescimento em 300% nas importações de granito.


Complicar é fácil. Difícil é simplificar”

MAX GEHRINGER,

consultor empresarial


RÁDIO


O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 14 horas. Destaque para o “Atacado e Varejo”, com o jornalista Eliomar de Lima.


FACEBOOK


Curta a nossa página: facebook/opovocbn


TV


Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

Gabrielle Zaranza

TAGS