PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Ceará pretende exportar R$ 1 bi em calçados

2018-03-07 01:30:00

O tempo de maturação dos investimentos no Ceará demoram décadas, mas setores como o calçadista apresentam resultados mais rápidos. Os empregos gerados este ano pela atividade mostram bem esse resultado.


Pelos números do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, o setor apresentou um saldo de 4.058 empregos em um ano, em função das indústrias instaladas principalmente no interior do Estado. Essas companhias, além dos incentivos fiscais dados pelo governo, também receberam da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) galpões para as suas instalações, cedidos através de regime de comodato (contrato de empréstimo gratuito).


O governo anda satisfeito com os resultados e agora aposta em uma segunda etapa, com a tentativa de atração de companhias instaladas em ZPEs fora do Brasil para a ZPE do Pecém.


Caso isso se realize, o secretário de Assuntos Internacionais, Antônio Balhmann, que participou da primeira fase desse processo, acredita em um crescimento da participação do Ceará nesse mercado. A meta brasileira é atingir R$ 2 bilhões em exportações de calçados, dos quais R$ 1 bilhão pode ser produzido na ZPE em dois anos.


INDÚSTRIA


MÃO DE OBRA QUALIFICADA


A meta cearense é ambiciosa e a aposta do governo consiste nos atrativos da ZPE e na mão de obra qualificada do setor. Antônio Balhmann ressalta que os industriais instalados no Interior elogiam o trabalho executado, cuja produtividade é 10% superior ao do restante do Brasil.


O risco estaria na possibilidade de migração das companhias do Interior para o terreno de expansão da ZPE, mas essa ameaça é considerada distante pelo governo, já que a sua produção é voltada para a exportação.


MENOS FALÊNCIA


RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS


As microempresas da área de serviços sentiram mais os efeitos da crise. O economista da Boa Vista SCPC, Flávio Calife, conta que o volume de pedidos de falência foi maior nessa atividade, que começa a reagir. Esse índice caiu 19,8% em 12 meses (entre março de 2017 e fevereiro de 2018).


Ontem, em entrevista ao O POVO Economia da Rádio O POVO/CBN, Calife explicou que as empresas do Sul, Sudeste e Centro-Oeste vêm apresentado resultados melhores, mas a perspectiva é de recuperação em todo o País.


CEARÁ


“INTERNET PARA TODOS”


O programa “Internet para Todos” será apresentado em Fortaleza no dia 11 de abril, às 14h50, pelo diretor do Departamento de Inclusão Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Américo Tristão Bernardes.


Ele participará de dois eventos para detalhar o projeto: o 7º Congresso RTI de Provedores de Internet e o 9º Congresso RTI de Data Centers, ambos no Hotel Praia Centro. Serão discutidos a adesão do público ao programa e como pode ocorrer a participação de empresários.


Os provedores devem fornecer conexão a 15% da população brasileira em locais onde as grandes operadoras não conseguem chegar. Isso correspondeu a 4 milhões de acessos em 2017. Um total de 184 municípios participarão do programa.


EQUIPOTEL E CONOTEL


PARTICIPAÇÃO DE ESTRANGEIROS


Representantes do Ministério do Turismo da Arábia Saudita e da China confirmaram participação na Equipotel Regional e no Conotel 2018 – dois eventos importantes do turismo que acontecerão em Fortaleza, de 16 a 18 de maio. O empresário cearense Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional, tem viajado para divulgar os eventos e procurado parcerias internacionais para a qualificação do setor.


FÓRUM


BRASIL-ÁFRICA EM SALVADOR


O professor Bosco Monte vem realizando eventos do Instituto Brasil África (Ibraf) em várias partes do País. O próximo será em Salvador, do qual participará o vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 1996, o ex-presidente de Timor-Leste (2007-2012), o jurista José Ramos-Horta (foto).


Hoje, em Salvador, já começam os preparativos do 6° Fórum Brasil África, que realizará a exposição “Mandela: de Prisioneiro a Presidente” e tratará de questões ligadas ao empoderamento juvenil.


Em política não há nada de novo. Há apenas gente tentando reinventar a roda”

DICK MORRIS, analista político norte-americano

RÁDIO


O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5) a partir das 14 horas. Destaque para o quadro “Sobe e desce da economia”, com o jornalista Nazareno Albuquerque.


FACEBOOK


Curta a nossa página: facebook/opovocbn


TV


Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

Gabrielle Zaranza

TAGS