PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Brasil: pior nota em índice de corrupção desde 2012

2019-02-01 03:40:03

A corrupção é considerada uma das principais ameaças à democracia no mundo. A ONG Transparência Internacional, entidade que apoia mobilizações da sociedade civil e trabalhos de conscientização de empresas e governos para melhores práticas, tem lançado alertas sobre o assunto.

A entidade mantém o Índice de Percepção da Corrupção (IPC), que ajuda a mapear os movimentos de combate à corrupção pelo planeta. O indicador é publicado desde 1995 e faz uma análise da percepção da corrupção no setor público em 180 países. O estudo toma por base 13 pesquisas de avaliação feitas com empresários e especialistas, e as pontuações do índice estão dispostas em uma escala de zero (altamente corrupto) a 100 (altamente íntegro).

Os resultados de 2018 mostram um quadro triste: mais de 2/3 dos países pontuam abaixo de 50, enquanto a média global é de apenas 43. A constatação mais perturbadora é a de que a maioria dos países avaliados tem feito pouco ou nenhum progresso. Apenas 20 conseguiram avanços significativos nos últimos anos.

O Brasil, felizmente ou infelizmente, está na lista de nações em que houve elevação da percepção de corrupção. O País apresentou a sua pior nota desde 2012 e caiu da 96ª posição do ranking da Transparência Internacional para a 105ª posição do ranking. A pontuação brasileira ficou bem abaixo da média mundial, passando de 37 para 35, com a terceira queda anual seguida.

Investigações 2

CONSEQUÊNCIAS PARA O PAÍS

Todo esse movimento de combate à corrupção não ocorreu de forma gratuita. Vale lembrar os protestos em 2013, que começaram em defesa de um transporte público mais barato e ganharam proporções maiores.

Depois das manifestações, a presidente Dilma Rousseff encaminhou lei contra organizações criminosas, aprovada no Congresso e Senado a toque de caixa, sem emendas, substituindo lei de 1995. O Brasil também assinou convenção da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) contra o suborno internacional e tomou providência para mostrar transparência aos investidores.

Ou seja, podemos dizer que as investigações foram um avanço, mostram a transparência do setor público. A grande interrogação é sobre as consequências de todo esse movimento: se ele será a base para o fortalecimento da democracia ou apenas para uma substituição de poder e imposição de novos processos burocráticos.

Investigações 3

PROCESSO DE MUDANÇA

O consultor Wilton Daher é um otimista em relação ao Brasil. Na sua avaliação, mesmo com todos os últimos desastres ocorridos, o mercado olha o País como uma nação em mudança.

Apoio da OAB

REFORÇO NA ÁREA PORTUÁRIA

O setor portuário ganhou reforço com a nova diretoria da OAB. A advogada Rachel Philomeno foi reconduzida à Comissão de Direito Marítimo, Portuário e Aeroportuário, e também ganhou assento no conselho estadual que tratará do assunto.

Emprego

RECUPERAÇÃO NO TRANSPORTE

Depois de três anos de crise profunda, a área de transporte finalmente voltou a contratar. A reação do setor ocorreu em 2018, com a criação de mais de 29 mil vagas com carteira assinada. O número é considerado modesto, mas confirma o início de uma recuperação. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) acredita em resultado melhor em 2019.

Lançamento

CHOCOLATE NATURALMENTE ROSA

Será apresentado hoje, no Espaço do Chef, em evento para convidados, o chocolate Ruby, da marca Callebaut. Essa é a primeira vez que o produto chega a Fortaleza. O lote é limitado e estará disponível a partir de amanhã, em embalagens de 2,5 kg pelo valor de R$ 239,90 (cada pacote).

TAGS