Quando ocorreu...
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Quando ocorreu...

2018-12-29 01:30:00
NULL
NULL
...o 1964, que contou com seu apoio decisivo, Ademar de Barros recebeu advertência dos líderes do movimento.

 

Estavam dispostos a esquecer o seu passado, desde que ele esquecesse o futuro, a ambição de ser presidente.

 

Ademar, que governava São Paulo, escutou, mas não ouviu, e passou a criar embaraços para a política econômica de Castello Branco.

 

Teve de ser cassado, apesar de amigo do todo-poderoso ministro da Guerra, Costa e Silva.

 

Já degolado, porém, ainda em palácio, resolveu tirar uma foto histórica com seus auxiliares.

 

Acontece que alguns secretários já tinham dado no pé, todavia, Ademar mandou Polícia Militar atrás deles, e conseguiu a chapa na marra.

[FOTO1]

Audenízia Moura, Camile Caracas, Ana Paula Fialho, na Academia da Porcelana da Padre Quinderé. (Evando)

 

VIRA-MUNDO

 

Se me perguntam qual a mais fascinante de todas as viagens que fiz, responderei de bate-pronto que a China comunista.

 

Quando ocorreu, em 1978, o grande país era ainda um mistério, e tivemos que nos identificar como sociólogos, pois se nos afirmássemos jornalista, corríamos o risco de não entrar.

 

Éramos nove, três do Sul, três de São Paulo, um da Bahia, um de Pernambuco e o Degas Aqui pelo Ceará.

 

Fomos convidados da Japan Airlines, que por sinal ainda não se instalara no Brasil, de modo que usou linhas de outras empresas.

 

PALPITE ALHEIO

 

Gosto popular, ora, se tem uma coisa que não pode ser popular é o gosto, que é produto da educação. (Oscar Wilde)

 

ADENDOS

 

Para ser correto, ao pé da letra, além de limpar a boca, após uma garrafa, deveria também usar o guardanapo, depois de um gole de vinho e antes de voltar aos comes.... Nos meus 25 anos de Iracema Plaza, agora que não recebo mais, acho que posso revelar que eu tive na Torre o melhor do melhor, só de governadores, Raul Barbosa, Parsifal Barroso, Virgílio Távora, César Cals, Adauto Bezerra e Tasso Jereissati.

 

BON MOT

 

Sempre existirão flores para aqueles que quiserem vê-las. (Henri Matisse)

Lúcio Brasileiro

TAGS