PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Faz 60 anos, entrevistava aos domingos...

2018-07-11 01:30:00
NULL
NULL

...Na Rádio Verdes Mares, que ainda não pertencia ao Edson Queiroz.


E aconteceu o seguinte, o Tarcísio e a Rosa Carneiro deram um almoço, em sua casa de campo, que me parece estaria localizada em Maranguape.


Era para um irmão dele, Pedro Jorge, que me convidou, e havia mais outros amigos.


Bebemos bastante e, começo da noite, descemos, para que eu pudesse fazer o programa.


Ainda caldiado, fiz vários ataques ao recém-inaugurado San Pedro Hotel , do Pedro Lazar, deixando o Zé Raimundo bastante sem jeito.


No dia seguinte, o Pedro Lazar ligou pro Fernando Pinto, que era o patrocinador, e ele mandou seu irmão Raimundo me tirar imediatamente do ar.

[FOTO1]

QUEM CALA NÃO MAMA


Candidato a deputado federal em 66, Lustosa da Costa procurou seu amigo Edson Queiroz, que assinou livro de ouro, mas disse: Não acredito em sua eleição. Mas, se você acreditar, volte aqui, que darei o que faltar. Lustosa não voltou, e perdeu por menos de mil votos, que Edson terá “butano”, em qualquer sertão.


FAZENDO POLÍTICA


Pertenci à Mocidade Pessedista Walter de Sá Cavalcante e até fiz uma viagem, de trem, para Itapipoca. Se reunia nos altos de um prédio da Rua Floriano Peixoto, próximo aos Correios, onde apomos retrato do dr Waldemar de Alcântara, que compareceu e falou. Durou pouco, mas ganhei muito, pois foi lá que conheci, vindo da Barbalha, Príncipe da Imprensa Cearense, Edilmar Norões.


SINE QUA NON


As evidentes boas intenções do prefeito para limpar as praias de Caucaia só vingarão se for criado Corpo de Fiscais, para impedir que os caseiros ponham o lixo na rua.


TREVISTINHA


O que gostaria de ser, depois da morte? Moeda, apesar de não dar muita bola ao vil metal.... Qual a coisa mais fácil de se fazer? Quebrar um copo.... Por que sua vida teatral terminou na primeira peã? Porque senti que jamais seria tão bom no palco quanto na máquina.... Já apanhou alguma vez? Não propriamente, mas, em duas ocasiões, entrei no quase.


BON MOT


Um poeta é um rouxinol que, na escuridão, se apruma para cantar e alegrar a própria solidão. (Percy Shelley)

TAGS