Participamos do

Por que é tão difícil montar um time

00:00 | Dez. 16, 2018
Autor Jocélio leal
Foto do autor
Jocélio leal Editor-chefe dos núcleos de Economia e Negócios (Veículos, Imóveis e Empregos&Carreiras)
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Desconfie de quem faz muito esforço para se manter em cargo público. Das duas uma: ou é corrupto ou medíocre. No segundo caso, costuma agregar ao currículo a subserviência ao chefe imediato. É aquele tipo que leva carão à mesa, na frente de todo mundo, mas apenas engole o choro. Prefere o vexame a ter de voltar às origens. Seja a Academia ou a realidade do mercado. Esta espécie de gestor também habita o privado, onde se berra muito mais.

 

Outro traço do comportamento medíocre é a defesa cega do Governo a quem serve, jogando às favas a compostura profissional ao se manifestar em artigos de jornal, entrevistas ou grupos de Whatsapp. Como dizem nossos pais, ao não se darem o respeito, naturalmente, não são respeitados. A experiência mostra que esta fauna se reproduz célere e faz muito mal ao serviço público.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Já os corruptos até podem ser eficazes. O crime nem sempre encobre a eficiência. Dão resultados, exibem números, bons percentuais. Mas são criminosos. E isto anula o balanço dito positivo. Ainda dos pais: um dia a casa cai.

 

Quando da composição de um novo time, o governante lida com estes dois gêneros, mas nem sempre os reconhece. A angústia de quem tem a caneta para nomear é saber da dificuldade de atrair gente de qualidade para a máquina pública. Por causa dos dois tipinhos acima, as instâncias de controle são cabais e, eventualmente, cruéis.

 

Muita gente honesta já acordou às seis da manhã com a Polícia na porta de casa por conta de acusações mais tarde não comprovadas. Quem autoriza despesa sabe do risco porque as ordens podem ser verbais. Gente séria teme estas coisas. Por tudo isto, e ainda por precisar combinar com os partidos, não deve ser fácil montar um time.

 

COMOVENTE

 

É comovente, para usar uma definição pueril, a indignação de filiados e admiradores petistas ante as acusações de corrupção envolvendo assessores e um filho de Bolsonaro. Leiam-se os casos da rachadinha dos vencimentos de um motorista, da assessora e do outro assessor que ganhariam sem trabalhar. A mesma fúria não havia até outro dia com os escândalos do mensalão, Petrolão e outros. O pessoal esquece sem cerimônia...

 

JÁ TINHA

 

O deputado federal eleito Heitor Freire (PSL-CE) disse, em discurso realizado durante a Cúpula Conservadora das Américas, organizada por Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, em Foz do Iguaçu (PR), que o evento ganhará uma versão regional. E será no Ceará, anunciou. "No Nordeste, infelizmente, a Esquerda se utiliza da indústria da seca, do assistencialismo e da perseguição política como instrumento para ganhar votos, mas a Direita vive e eu tenho orgulho de ter sido um deputado federal conservador eleito pelo Ceará". Bem, a seca e o uso eleitoreiro dela são anteriores à posse de Lula em 2003. Apenas continuaram.

 

INCENTIVO AO TOBOÁGUA

 

O segmento de parques temáticos vive dias divertidos. O Governo Temer autorizou a importação de equipamentos sem similares nacionais com tarifa zero em compras realizadas até o final de 2020, segundo consta da Resolução nº 98 da Câmara de Comércio Exterior (Camex), publicada esta semana no Diário Oficial da União. O setor trabalha hoje com isenções temporárias, que zeram a tarifa por períodos pré-determinados de até oito meses. Havia lobby antigo do setor apoiado pelo Ministério do Turismo. "Com a resolução da Camex teremos um novo período de investimentos e crescimento do nosso setor. Os empresários podem aproveitar esta janela e contribuir para o incremento do turismo em suas regiões, por meio da atratividade dos empreendimentos em operação e da oportunidade para abertura de novos parques", afirma o presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Murilo Pascoal, também diretor do cearense Beach Park. Hoje no Brasil há 23 pedidos de isenção em análise.

 

BOLACHA COM CAFÉ

[FOTO1]

Merchandising espontâneo melhor não poderia haver para Nestlé e M. Dias Branco, duas gigantes do setor de alimentos. Na foto postada esta semana, o presidente Bolsonaro mergulha três biscoitos Piraquê (de M.Dias Branco) no café. É assistido por uma caixa de leite Ninho.

 

A AGENDA QUE NEM ABRIMOS

 

A Ford divulgou o seu Relatório de Tendências de 2019. Mostra como o avanço da tecnologia está influenciando a mudança de comportamento das pessoas em áreas-chave da vida e quais as implicações no relacionamento entre as empresas e os consumidores. A pesquisa foi feita em 14 países - incluindo o Brasil. Dela saíram sete principais pontos da transformação. "Essas mudanças podem nos levar do sentimento de desamparo à sensação de poder, esperança e progresso", disse Sheryl Connelly, gerente de Tendências Globais de Consumo e Futuro da Ford. Dentre outros pontos, o relatório da Ford mostra que para 89% dos brasileiros é possível treinar o cérebro para pensar diferente. Com relação ao progresso ambiental, 53% dos brasileiros acreditam que ele vai depender da tecnologia, enquanto 91% apontam a mudança no comportamento humano como o caminho. Pois bem, alguém lembra desta agenda nos debates eleitorais para candidatos a governador ou presidente? 

 

Não, né? A pauta era bem rasa. Bastante aprazível para quem não tinha profundidade. Depois ficam reclamando...

 

JOGO RÁPIDO

 

Mulheres no Fisco: O governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), nomeou a economista carioca Cristiane Schimidt para o posto de secretária da Fazenda.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente