Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Mbappé, Cavani e o Futebol

23:00 | Jun. 30, 2018
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Começaram bem demais as oitavas de final da Copa do Mundo de 2018. E não apenas pelos dez gols anotados, média de cinco por partida. França 4x3 Argentina e Uruguai 2x1 Portugal foram embates marcantes, mas construídos com diferentes padrões, o que mostra como as alternativas do futebol são múltiplas. No primeiro confronto, defesas abertas, equipes mais desorganizadas, muito talento ofensivo e individual. Não por acaso o argentino Jorge Sampaoli e o francês Didier Deschamps, os comandantes, vivem questionados. No segundo confronto, sistemas de marcação sólidos, definidos e organizados, além de força física e predomínio da obediência tática coletiva, méritos do uruguaio Òscar Tabárez e do português Fernando Santos.

 

FRANÇA

 

Aos 19 anos, Kylian Mbappé foi o nome da classificação francesa para as quartas de final. Além da absurda arrancada para sofrer o pênalti que deu origem ao primeiro gol convertido com frieza por Antoine Griezmann, marcou outros dois, mostrando uma rara combinação de talento, velocidade e serenidade para finalizar. Agora são três tentos na Rússia e assim ele se torna parte do seleto grupo de agora seis jogadores abaixo dos 20 anos que balançaram as redes mais de uma vez na história das Copas. Os outros: Pelé e Mazzola, do Brasil; o alemão Edmund Conen, o mexicano Manuel Rosas e o inglês Michael Owen.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine
 

URUGUAI


No cenário de uma Copa do Mundo, partida eliminatória contra Portugal de Cristiano Ronaldo, Cavani teve uma atuação épica. Antes de sair na metade do segundo tempo com dores no tornozelo — o jogador do PSG é dúvida para as quartas de final justamente contra a França —, o atacante m anotou os dois gols uruguaios, além de ter se dedicado para colaborar com a marcação desde a saída do campo adversário até a sua intermediária defensiva. Aos 31 anos, Cavani atinge um nível de maturidade de jogo para poucos na sua posição. É uma referência mundial.

 

Fernando Graziani

[email protected] 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar