A força de Lula e o alerta para Ciro
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

A força de Lula e o alerta para Ciro

2018-08-18 01:30:00
NULL
NULL

A pesquisa Ibope, contratada pelo Sistema Verdes Mares, é amostra impressionante da força de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Ceará. Ele aparece com 56% das intenções de voto no Estado. Chama atenção porque Ciro Gomes (PDT) também está na pesquisa. O percentual dele é de 15%.

 

Chama atenção, sobretudo, porque Ciro foi candidato a presidente duas vezes. Em ambas enfrentou Lula. E nas duas teve mais votos no Ceará. Em 1998, Ciro teve 909,4 mil votos no Estado, contra 872,2 mil de Lula. Em 2002, o placar foi de 1,52 milhão contra 1,35 milhão. Hoje, o placar é de 56% a 15%.

 [FOTO1]

A dúvida do potencial de Haddad

Sem Lula, Ciro sobe bastante, para 39%. Como o petista não deverá mesmo ser candidato, o pedetista não tem tanto com que se preocupar. Em tese, tem caminho livre para sua melhor votação no Estado.

 

O problema para ele é o potencial de transferência de voto de Lula para Fernando Haddad. Na pesquisa Ibope, fica em 2%. Pode ter certeza de que, se não será de jeito nenhum de 56%, também não ficará nos 2%.

 

Como o próprio Ciro diz, para ter alguma chance, ele precisa ir muito bem no Ceará. Até para sustentar o discurso que aborda as conquistas do Estado.

 

Bolsonaro no Ceará

A força de Lula e o fato de ser o estado de Ciro cria cenário muito próprio no Ceará. Tanto Jair Bolsonaro (9%) quanto Marina Silva (5%) ficam bem abaixo de seus patamares nacionais. Bolsonaro tem a metade do que obtém em todo o Brasil. Mesmo no cenário sem Lula, Bolsonaro passa de 9% para 14%, abaixo de seu patamar nacional.

 

Com Lula, o candidato do PSL tem 9%, não tão distante assim dos 15% de Ciro.

 

A posição do governador

A pesquisa ajuda a entender por que Camilo se equilibra entre o apoio a seu padrinho Ciro e ao correligionário Lula.

 

Escolaridade e o voto de Bolsonaro

O Ibope traz dados curiosos sobre os perfis de eleitores. No Ceará, a maior força de Bolsonaro é entre os que têm nível superior. Enquanto seu percentual médio é de 9%, chega a 17% no segmento. Empata tecnicamente com Ciro, que tem 19% nesse segmento.

 

Lula, por sua vez, tem pior desempenho entre os mais escolarizados. Cai dos 54% médios para 42% - ainda folgadíssima liderança.

 

Sexo e o voto de Bolsonaro

O problema de Bolsonaro é as mulheres. Enquanto chega a 14% entre homens, cai a 6% no eleitorado feminino.

 

Os votos do general

Mesmo problema tem o General Theophilo (PSDB) para governador. Tem 6% entre homens e 3% entre mulheres.

 

Também cresce entre quem tem nível superior: 8%, contra 3% entre quem tem nível fundamental.

 

Segmentos

Detalhe em relação aos segmentos é que se trata de recortes dentro do universo mais amplo de 1.204 eleitores. Assim, a margem de erro é maior e os dados não são tão seguros.

 

TAGS