PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Controvérsias na cirurgia plástica da face e pescoço

00:00 | 08/10/2017

 

Por Roberta Fontelles Philomeno

 

Lifting facial, cirurgia das pálpebras e pescoço são as que mais geram discussões nos congressos
Lifting facial, cirurgia das pálpebras e pescoço são as que mais geram discussões nos congressos

1 A cirurgia da face possui dezenas de técnicas e tipos de abordagem para resolver o mesmo problema. Isso se deve à evolução das técnicas cirúrgicas, que vão se modificando para tentar chegar a melhores resultados. Também, quanto mais difícil de se conseguir um bom resultado, mais técnicas a cirurgia terá. “Aí, surgem as controvérsias entre os cirurgiões e os congressos para discutirmos as diferenças para tentar chegar à melhor técnica”, diz o cirurgião plástico Ageu Brasil (CRM 3578/RQE 3085), que esclarece três controvérsias na cirurgia da face e pescoço, discutidos no último Congresso Internacional em Cirurgia Plástica, que ocorreu em São Paulo.

2 PÁLPEBRAS: O primeiro ponto da cirurgia da face é sobre o excesso de pele nas pálpebras superiores, onde, de um modo simplista, o cirurgião plástico ou oftalmologista — que agora está operando pálpebras também — retira o excesso de pele, as bolsas gordurosas e termina a cirurgia. “O envelhecimento da face vai muito além das pálpebras, que podem apresentar excesso de pele devido às sobrancelhas caídas”, observa o cirurgião.

 
&nsbp;

3 Para a solução do problema, Ageu Brasil propõe tanto a elevação das sobrancelhas (“existem dezenas de técnicas para isso”), como a retirada de pele e gordura, se necessário. “O procedimento simplório, com apenas a retirada de pele das pálpebras superiores, quando o paciente apresenta queda das sobrancelhas, agrava o olhar triste, tirando a chance de rejuvenescimento da região”, lamenta.

4 LIFTING: O segundo ponto da cirurgia da face diz respeito ao lifting, que pode ser realizado em um ou dois planos. “A plástica de rugas (lifting facial) em um plano significa só o estiramento da pele. Em dois planos, significa o estiramento do plano profundo (músculos) e mais o estiramento da pele, de maneira que esta se acomoda sem tensão nas incisões, dando um resultado mais natural e duradouro”, indica.

Apenas a retirada de pele das pálpebras superiores, quando há queda das sobrancelhas, deixa o olhar triste
Apenas a retirada de pele das pálpebras superiores, quando há queda das sobrancelhas, deixa o olhar triste
5 De acordo com Ageu Brasil, mais de 70% dos congressistas concordaram que tem de ser feito o lifting facial em dois planos. A maior controvérsia fica por conta de como fazê-lo. “Sem entrar em detalhes da técnica, parece que o melhor resultado está no descolamento do segundo plano (mais profundo, músculos), retirada de excessos e sutura em um ponto fixo. Foi apresentado também um trabalho em que dar pontos na própria gordura, que chamamos de plicatura, se desfaz em apenas três meses”, esclarece.

 

6 PESCOÇO: O terceiro ponto está no pescoço, na glandular submandibular que forma uma bolsa caída no bordo da mandíbula, causando irregularidade na região e envelhecimento. “Alguns cirurgiões propõem a retirada da glandular para delinear o bordo da mandíbula e rejuvenescer, mas poucos se aventuram a essa metodologia, porque a retirada envolve táticas cirúrgicas inovadoras e qualquer deslize pode causar paralisia facial, próxima à região da boca”, deixa claro Ageu Brasil. Só que algumas técnicas em cirurgia podem se mostrar eficazes, com o tempo, e trazer bem-estar e segurança ao paciente. Daí, são difundidas e aceitas no meio acadêmico.

GALERIA

 

Um sucesso a realização do 61º Congresso Brasileiro de Oftalmologia 2017, recentemente, no Centro de Eventos do Ceará. Parabéns aos copresidentes do evento, os oftalmologistas cearenses Dácio Costa e David Lucena

Oftalmologista Dácio Costa

Oftalmologistas Dácio Costa, Antônio Gallo e David Lucena

Oftalmologistas David e Socorro Lucena, no jantar dos palestrantes

Oftalmologistas David Lucena (CE), Abrahão Lucena (CE), Florentino Cardoso (CE) e Marcos Ávila (GO)

Oftalmologista Edmar e Andréia Guedes

Oftalmologistas Eugênio Giffoni, Rodrigo Vicentini e Felipe Carvalho

 

Bate-pronto

 

A cirurgiã plástica Geórgia Machado (CRM 8038 – RQE 3028) montou um brunch para receber as amigas e pacientes, na loja Le Lis Blanc, da Av. Dom Luís, em um sábado ensolarado. Um bate-papo delicioso sobre rejuvenescimento e a certeza de que é possível sim chegar aos 40 anos de idade de bem com a vida e com o espelho. “Época em que precisamos correr atrás do prejuízo e combater os efeitos do envelhecimento”, esclarece Geórgia Machado.

O POVO– É mito ou verdade que depois dos 40 anos de idade o processo de envelhecimento é acentuado?

GEÓRGIA MACHADO – Verdade, desliga algo da noite para o dia. Quando completamos 40 anos, pela manhã enxergamos normalmente e à tarde precisamos de óculos. Pela manhã, não temos um cabelo branco, no outro dia a cabeça está cheia. Nessa época, estamos com a cabeça ótima, mas precisamos correr atrás do prejuízo do corpo. Malhar com afinco, seguir uma alimentação regrada e fazer reposição hormonal, para ter mais vontade de fazer as coisas, fazem parte do arsenal.

 

OP – E começamos a renovação por onde?

GM – Geralmente, as mulheres começam pelo corpo. São mães que têm filhos crescidos, já amamentaram e estão mais despreocupadas e querem ficar iguais às gatinhas de 20 anos. Não se iluda. Querem colocar próteses nos seios, ficar com a cintura fina, o bumbum grande. Elas se comparam muito às dançarinas ou do Faustão ou dos Aviões. Elas querem o mesmo corpo de uma menina de 20 anos bem arrumado, é impressionante.

OP – É possível realizar esse corpo dos 20 aninhos aos 40?

GM – Temos como melhorar muito. As mulheres vão fazer abdominoplastia, deixar a cintura fina, colocar implantes de silicone nos seios, nos glúteos. Aí, depois de três meses das cirurgias, malham, malham, malham e ficam com as coxas grossas.

OP - Quais procedimentos são indicados para o rosto?

GM – No rosto, as aplicações de Sculptra, colocação de fios de sustentação e técnicas de MC Codes, preenchedores e hidratantes com ácido hialurônico, laser CO2, ultrassom micro focado, Herbium intraoral microagulhamento, radiofrequência de 4ª geração.... A toxina botulínica, o botox, é o tempo todo, é um tratamento para fazer sempre. O céu é o limite para o rejuvenescimento depois dos 40 anos.

OP – ... Nossa... um verdadeiro arsenal.

GM - ...Podemos preencher o sulco nasogeniano, realçar as maçãs do rosto, levantar o olhar, realçar e rejuvenescer os lábios, aumentar o mento (queixo), fazer contorno de mandíbula, preencher a ruga da glabela, entre as sobrancelhas que aparecem muito nas pessoas depois dos 40 anos. Rejuvenescer a região do pescoço, das mãos. Os sinais do envelhecimento vão aparecendo e temos de ir correndo atrás do prejuízo.

OP – São procedimentos que adiam a cirurgia plástica?

GM – Sim, e o resultado fica mais natural. Nos 40 anos, não é tempo de prevenir, é tempo de tratar ou assumir. Aceitar os sinais do passar dos anos dói menos.