Participamos do

Bate-pronto

17:00 | Jun. 10, 2017
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

 

Por Roberta Fontelles Philomeno

[FOTO1]

Entre os preparativos do segundo maior congresso de oftalmologia do mundo, o 61º Congresso Brasileiro de Oftalmologia 2017, de 6 a 9 de setembro, no Centro de Convenções do Ceará, do qual compartilha a Presidência com o oftalmologista Dácio Costa, o oftalmologista David da Rocha Lucena (CRM 5441 / RQE 3999), chama atenção para a importância de uma simples consulta ao médico oftalmologista para a saúde dos olhos e prevenção de problemas graves que podem levar à cegueira. “O diagnóstico (o tema do congresso) é fundamental para a saúde ocular”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O POVO - Qual a maior causa que leva às pessoas a procurar um oftalmologista?

David Lucena - A troca de óculos é a principal razão para o paciente procurar um oftalmologista. Na consulta, medimos a pressão; se estiver alta, fazemos exame de fundo de olho. Vamos supor que detectamos atrofia de nervo ótico, a partir daqui, muda totalmente a consulta. Já diagnosticamos o glaucoma, que pode levar à cegueira, em um paciente que foi apenas trocar os óculos.

OP – Então, a simples consulta para a troca de óculos é importantíssima para a saúde dos olhos?

David – Sim. Nessa mesma consulta, vemos uma lesão suspeita no fundo do olho, por exemplo, e diagnóstico de um melanoma. Ou em um alto míope que tem retina frágil, dilatamos a pupila, fazemos um mapeamento de retina e descobrimos, na periferia da retina, um rasgão. O rasgão, a médio prazo, leva a descolamento de retina. Se fizermos um simples laser, ali, na hora, resolvemos o problema e acabou o perigo de um deslocamento de retina.

OP – Trocar os óculos de grau tem de ser com um oftalmologista?

David – Total. Você está vendo que em uma simples consulta de rotina o oftalmologista pode resolver vários problemas e evitar cegueira. O paciente corre riscos muito grandes em trocar seus óculos com pessoas que exercem ilegalmente a Medicina. Pode ficar feliz com os óculos novos, mas não fez o diagnóstico de nada, de uma doença como a miopia, a hipermetropia ou o astigmatismo, que são doenças e estão no Código Internacional das Doenças (CID). Quem exerce ilegalmente a Medicina diz que não está tratando doença, apenas fazendo uma refração. Só que refração é doença. 

 

OP – E as lentes de contato dos olhos que podem ser compradas até em lojas de cosméticos?

David – Adaptar lentes de contato nos olhos sem a orientação de um oftalmologista é um perigo imenso. O paciente tem de entender que não pode colocar nada no olho que não seja indicado por um médico, porque pode complicar. E se tiver uma úlcera de córnea ou outa complicação? É muita coragem. Usar um colírio sem a devida prescrição de um médico já é perigoso. E se o colírio causar perfuração no olho? Quando nós, médicos, prescrevemos um colírio, temos de dar acompanhamento ao paciente. Tudo tem um risco.

OP – Devido às reclamações da população, a impressão que temos é de que faltam oftalmologistas no Brasil.

David - Não. A Organização Mundial da Saúde preconiza um oftalmologista para cada 12 mil habitantes. No Brasil temos um para cada 10 mil, No Ceará, contamos com um oftalmologista para cada 9 mil habitantes. Perfeito. E temos a previsão de aumentar muito, porque cresceram muito as vagas de Residência Médica em Oftalmologia, de quatro anos apara cá. Hoje, saem em torno de 25 novos oftalmologistas por ano, só no Ceará. Fora os médicos que vão fazer especialização fora e voltam.

 

OP – As doenças oculares, geralmente, são assintomáticas?

David - Como o paciente pode saber que tem a doença se, na maioria dos casos, ela não apresenta sintoma? Cerca de 90% dos casos de glaucoma são silenciosos, assim como 90% do diabetes são silenciosos e descobertos em uma simples consulta de rotina.


OP – Quais as doenças oculares mais comuns?

David – As principais são os vícios de refração, como: miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (vista cansada). Depois vêm a catarata, a degeneração macular relacionada à idade, a retinopatia diabética, o glaucoma, o pterígio (aquela carnezinha que vai cobrindo o olho) e olho seco.

OP – Quais são suas expectativas como copresidente do 61º Congresso Brasileiro de Oftalmologia 2017 (CBO), ao lado do também oftalmologista Dácio Costa?

David – As melhores possíveis. Vamos realizar o segundo maior congresso de oftalmologia do mundo, com cerca de 5 mil participantes e com a participação de mais de 600 renomados palestrantes nacionais e internacionais. Contamos com o maior centro de eventos da América Latina, muito bem equipado, que impressionou a comissão científica nacional.

DESTAQUE EM DUBAI


Cirurgias íntimas com avaliação global da região genital das pacientes, com rejuvenescimento e embelezamento da área. Foram essas algumas das razões pelas quais a cirurgiã plástica cearense Adivânia Pinheiro (CRM 10565 / RQE 6285), do Blue Day SPA, foi a única brasileira convidada para a inauguração da clínica Med Arz Clinics, do renomado cirurgião paulista Luiz Toledo, em Dubai.


A cirurgiã realizou, junto com Toledo, cirurgias combinadas envolvendo reparação íntima genital, em conjunto com lipoaspiração e abdominoplastia, além de lipoesculturas com remodelamento da região da genitália com gordura, utilização de preenchimento com ácido hialurônico e o laser Monalisa Touch. “Fazemos a combinação de técnicas para melhorar a área íntima, com avaliação desde o Monte de Vênus à região perianal”, conta.


Esses procedimentos associados são capazes de tratar os pequenos e grandes lábios, clarear a região íntima, tratar flacidez, hipertrofia, hipotrofia, dentre outros. Para mais esclarecimentos, Adivânia Pinheiro irá realizar, em breve, demonstrativo do laser Monalisa Touch, em evento, no Blue Day SPA.


GALERIA

Médicos Fabrício Martins, Sérgio Pessoa, Gardênia Costa do Carmo, Marcellus Ponte de Souza, Júlio Lelis, João Odilo Pinto, Rodrigo Vieira, Fernando Siqueira, no IV Congresso Cearense de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva, que foi realizado no Centro de Eventos do CE (III SCAD)


Oftalmologista Rodrigo Vicentini, da clínica CGV, recém-chegado do Simpósio Internacional da Sociedade Brasileira de Glaucoma, no Rio de Janeiro


Médico João Borges, presidente da Unimed Fortaleza, na abertura do I Congresso Médico Unimed Fortaleza, no Centro de Eventos do CE, sob o tema “Inovação, Integralidade, Conhecimento e Cooperação”


PARA ENTENDER


O cirurgião paulista Luiz Toledo (foto) já atua, há 15 anos, nos Emirados Árabes Unidos e atende e opera pacientes mais de 100 nacionalidades, numa clientela composta por sheiks e magnatas do império do petróleo e suas famílias.


Por debaixo da burca, as árabes escondem curvas estilo Kim Kardashian


Conhecido em congressos internacionais como Dr. Buttock (Doutor Bumbum), devido à técnica de lipoescultura que desenvolveu com o colega Paulo Matsudo, nos anos 1980, encantou as mulheres do Oriente Médio que buscam, desde sempre, um corpo com muitas curvas arredondadas, muito busto, glúteos e culote (enquanto nós lipoaspiramos essa gordura da região, elas mandam injetar).
Estilo Kim Kardashian.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente