Alan Neto: Assim estava escrito
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

Alan Neto: Assim estava escrito

2018-11-12 01:30:00
- FORTALEZA, campeão brasileiro da Série B, apenas completou o ciclo vitorioso do Tricolor nesta campanha irrepreensível, sem manchas, via pontos corridos, onde sempre esteve no G-4 e no pódio maioria esmagadora das vezes. Assim estava escrito e assim se fez e se cumpriu.

 

- ACESSO por antecipação tinha sido o primeiro sinal positivo de que algo melhor estava por vir. Faltava-lhe o título, meter a estrela de campeão brasileiro, feito inédito na história do Fortaleza, assim como o Ferroviário já tinha metido a sua estrela ao ser campeão brasileiro da Série D. Convém não esquecer o feito do Ferrão, coroando a vida dos dois que, por coincidência, são tricolores.

 

- PRA completar a travessia brilhante do Fortaleza justo no ano do seu centenário, quer dizer 100 anos que ficarão marcados para sempre. Um ano de ouro. Ninguém, no futebol cearense, nesta competição, chegara a tanto. Coube ao Fortaleza, por méritos que ninguém, absolutamente ninguém, ousará contestar.

 

- ALEGRIA pouca é bobagem, sagrou-se campeão com duas rodadas de antecedência, assim como já havia acontecido no acesso. Prova, mais do que provada desta campanha brilhante do Fortaleza, incontestavelmente um feito consagrador. Sua imensa torcida está coberta de razão em comemorar da forma como vem fazendo e vem ainda mais por aí. Se bem que os próximos jogos serão apenas pra complementar o que já está feito. Não passarão de meros amistosos, de entrega de taça e faixas. O que era pra ser feito, já está com todos os méritos.

 

HOSANA NAS ALTURAS!

 

- SALVE, pois, o novo campeão brasileiro da Série B, carimbando o passaporte, antes já carimbado, pro Brasileirão de 2019. Mas aí é outra história e novos personagens. Mais fortes e mais poderosos, significa também mais público e mais dinheiro pros cofres tricolores. Um ano inesquecível este do centenário. Hosana nas alturas.

 

PROEZAS DO DESTINO

 

- VITÓRIA sobre o Avaí, dentro da Ressacada (1 a 0) gol no último minuto dos descontos, quando o 0 a 0 já dava o título por antecipação ao Fortaleza, beneficiado pelos resultados do CSA e do Goiás. Incrível como os ventos sopraram o tempo todo a favor para os lados do Pici.

 

- OS ventos da competência? Sim. Os ventos da superioridade? Sim. Ou seja ? os ventos jamais sopram a favor dos incompetentes no futebol. E ninguém foi mais competente nesta Segundona do que o Fortaleza das três cores.

 

- ATENTEM agora pra proezas que o destino prega. Todas as decisões, a partir da subida pra Série B, após oito anos do inferno de Dante da Terceirona, foram conquistadas fora de casa, ou seja, longe dos olhos da torcida tricolor.

 

- NÃO ficou só aí. O acesso foi conquistado, por antecipação, também fora de casa. A conquista do título, igualmente fora de casa, dentro da Ressacada com tudo a favor do Avaí, inclusive as chuvas que encharcaram o campo, razão pela qual o jogo foi (quase) uma pelada. Ainda assim diante de tantos percalços a vitória veio num gol que ninguém mais esperava.

 

- E SABEM quem foi o autor? Rodolfo. Por acaso algum torcedor do Fortaleza ainda se lembrava que ele, ao menos, fazia parte do elenco? Ninguém. Quis o destino que fosse ele o autor do gol que sacramentou a torcida e este mesmo Rodolfo entrar pra história do clube na decisão e no ano do centenário. Nem ele mesmo acreditou em tudo aquilo. Deve ter perguntado mil vezes -"O que fiz, meu Deus do céu, pra merecer tanto?.

 

- COISAS do destino, preferível ninguém tentar decifrá-las. Será pura perda de tempo. Destino é destino, fim de papo, estamos conversados.

 

NÃO FOI POR FALTA DE ESFORÇO

 

- CEARÁ precisava de uma vitória no jogão de ontem à tarde, no Castelão, contra o Internacional pra dar um salto de qualidade no Brasileirão, deixando pra bem longe a maldita zona de rebaixamento. Time gaúcho também precisava desta vitória pra encostar no Palmeiras. Empate (1 a 1) premiou o esforço dos dois que buscaram o gol da vitória a todo instante.

 

- EMPATE em casa, sabe como é. Torcedor olha de lado, torce o nariz, preferia mil vezes a vitória, mas nem sempre as coisas acontecem como ele quer. O Inter é um time de peso e mostrou ontem no Castelão. Em nenhuma momento o Ceará encheu-se de temor. Foi em busca da vitória à qualquer custo e a qualquer preço. Tentou, não conseguiu. O Internacional fez a mesma coisa.

 

- RESULTADO igual pra dois times parecidos. Mais em virtudes, do que em defeitos. Ficou de bom tamanho? Pra quem? Verdade verdadeira. Os dois ainda estão no jogo. Inter pra alcançar o Palmeiras. Ceará pra permanecer no Brasileirão. Os anjos dirão amém? Tomara que sim...

ALAN NETO

TAGS