As onze decisões
PUBLICIDADE

VERSÃO IMPRESSA

As onze decisões

2018-10-15 01:30:00

- PRONTO pra enfrentar a primeira das onze decisões, a partir de hoje, Castelão, 8 da noite, o Ceará deve estar. Afinal, foram duas semanas de pernas pro ar, embora nem tanto, porque só treino, treino, treino sem sequer  um amistoso frugal, cansa a beleza de qualquer jogador.

 

- ADVERSÁRIO, caso Botafogo, não é esses balaios, ao lado do Vasco, os dois piores times cariocas no Brasileirão. Quer dizer, então, vitória do Ceará no papo? Quase, quem sabe? Time por time, pelo menos o Botafogo não está na zona de rebaixamento, pra onde o Ceará voltou.

 

MUDANÇA PRA MELHOR?

 

- LISCA tem boas qualidades e vários defeitos. Uma das qualidades mexer pouco na equipe que está bem pra não baratinar a cabeça do torcedor, dar melhor entrosamento ao time alvinegro.

 

- HOJE, diante do Botafogo, obrigatoriamente terá de fazer pelo menos duas. Zagueiro Brock bom, jamais melhor que Luiz Otávio e Felipe Azevedo, que voltou pior do que quando daqui saiu. Parece ter desaprendido.

 

E O OUTRO LADO?

 

- E O Botafogo pode assustar? Embora nem tanto. Trata-se de um time imprevisível entremeando boas partidas, outras más, quase sempre frugais. Como prevenir sempre foi melhor que remediar, jogando em casa preferível não facilitar.

 

- ALIÁS, à altura da Série A, entrando no funil de decisão atrás da outra, Ceará, embora no Castelão, não pode dar vez ao azar. Precisa lembrar isso ao jogador? Que nada! Ele está muito mais antenado que qualquer um.

 

VALE TUDO

 

- ROBINSON de Castro já decretou, do alto da sua sisudez, a partir de agora, nas onze decisões, instituirá oficialmente o bicho molhado.

 

- QUER traduzir, cara-pálida? Terminado o jogo, vitória no papo, jogador recebe ali mesmo, no vestiário, o seu bicho. Este nome bicho pro jogador de futebol é tão bonito, que só perde pra palavra mamãe...

 

DÁ PRA DESCONFIAR...

 

- FORTALEZA não passou de empate insípido (0 a 0) com o Oeste dentro de Barueri. Um porre partida sem gol, especialmente pro torcedor.

 

- SABEM aquela lenda do tabu? Acaba pegando, se ainda não pegou, embora apesar de quatro jogos sem vencer. Consta que só a partir do quinto.

 

EXPLICA, NÃO JUSTIFICA

 

- PELO sim, pelo não, dá pra desconfiar há algo estranho em tudo isso. Oeste é ruim, diferente do Fortaleza embalado na reta final da Série B, faltando dois quarteirões. Se servir como consolo, empatar fora de casa tem gosto sabor de vitória. Engole essa quem quer.

 

- EXPLICAÇÕES existem tantas e cansativas. Mesma tecla de sempre. Vale desfiá-las dominou, mas a bola teimou em não entrar; jogador tal perdeu cara a cara com o goleiro chutando na trave; ganhou na posse de bola e nos passes certos. Ok, ok, serviu mesmo pra quê?

 

AVISOS PREGADOS

 

- BEM que avisei. Quem não acreditou, caiu do cavalo. Quando Ceni resolve fazer cinco treinos secretos tem novidade à vista. Não deu outra. Éderson barrou Gustagol apés cinco jogos sem balançar as redes. Éderson deu mais mobilidade ao ataque. Acertou um voleio que se entrasse o teria consagrado, deixaria Gustagol por muito tempo, com o bumbum no banco.

 

- BOECK voltou. Estava previsto. Max tremeu que nem vara verde quando Cêni decretou que a posição era dele portanto o agarrasse com unhas e dentes. Não agarrou e a chance foi pro espaço. Agora só na outra encarnação...

 

ALAN NETO

TAGS