PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Alan Neto: Empate com Palmeiras pouco ou quase nada ajuda na situação do Ceará

01:30 | 12/06/2018
TUDO bem, nada contra. Ceará empatou, torcida comemorou como se fora uma grande vitória. Para quem vinha numa pindaíba danada, empate naquela situação teve sabor de vitória. Quem diria!Todos comemoram à sua maneira.

 

AO pé da letra, ou seja, olhando pelo lado da realidade nua e crua, os 2 a 2, pouco ou quase nada ajudaram na situação do Alvinegro, ainda no fundo do poço. Menos culpa de quem está chegando, caso Lisca, mais por culpa dos que deixaram este legado macabro, tais Chamusca e Jorginho.

LONGE o tempo em que empate em casa tinha fel (que palavra!) de derrota. Acontece que o adversário era o todo-poderoso Palmeiras. Sendo assim os quinhentos são outros.

SITUAÇÃO tão caótica, mesmo com a quarentena da Copa, da rabeira o Ceará não sairá. Terá saída? Eis a dúvida cruel.

O MIDIÁTICO

LISCA sempre foi midiático, adora um holofote. E quem não é? Isso posto, o mascote do Ceará o levou até a presença dos torcedores que gritavam pelo seu nome.

COMO de doido só tem o apelido, Lisca foi lá acolher os aplausos da torcida. Reprise da cena quando tirou o Ceará no buraco da Série C. Se ficou encabulado? Qual nada! Adorou.

SEGREDOS DE VESTIÁRIO

... CHAMOU atenção quando, num microfone da vida, Ricardinho, ao ser perguntado sobre o que havia mudado no Ceará, não perdeu a pose — “Mudou no vestiário”.

... ONDE quis chegar. Fácil e pronta resposta. No intervalo, Lisca muda o tom da prosa. Ao invés do lenga-lenga dos outros treinadores, ele vai direto na ferida.

... AOS gritos, pergunta a determinado atleta — “Quanto você ganha no Ceará, que paga em dia?. Pois o que você ganha é pra estar comendo a grama e não se escondendo.”

.. SERMÃO não para aí. Se um jogador falha no lance, ele passa na cara para todos ouvirem. Rafael Pereira e Luiz Otávio entraram neste sermão”.

... RESUMO da opereta. Cada técnico, seu estilo. Depois de tudo, aos berros —”Quero em campo guerreiros, não um bando de molengas”. Jogador entende bem este linguajar.

PRIMEIRO SINAL

QUEBRA de uma invencibilidade de nove jogos pode até ser encarada como normal. Epa, epa! Até certo ponto.

DERROTA do Fortaleza para o São Bento pode e vai servir como primeiro sinal de alerta ao elenco e a Ceni. Desculpas esfarrapadas torcedor engole até certo ponto, por conta da gordura acumulada. Nunca como justificativa.

TRICOLOR perdeu porque jogou pessimamente, houve um apagão na equipe e nada funcionou. Até Edinho, craque do time, entrou neste rolo. E sem o Gustagol, piorou.

TEM mais? Ora,se. Aquela de dizer que ausência de Ceni foi fundamental para o Fortaleza perder a invencibilidade é imbecilidade em dose de dupla.

PONTA DE LANÇA

SE não fosse o Cariús, o Ferrão estaria ferrado. Quem faz gol por onde passa, faz gol em qualquer lugar. Isso é primário em futebol.../// TORCIDA do Ferrão dentro do Castelão, menos 95% da capacidade da Arena. Uma gota d’água. É pequena, porém barulhenta e agressiva quando preciso for.../// PREJUÍZO de quase R$ 5 mil fez Walmir Araújo lamentar, por este aspecto. E no PV, cara-pálida, teria dado público maior? Seria o mesmo. Acontece que o PV dentro do Castelão ainda sobram 40 mil lugares. Resumo — Ferrão teria vencido mesmo dentro do PV, de 1 a 0 e já estava de bom tamanho. Tirou do caminho seu maior algoz, o Cordino. Quem diria, hein! Que o Cordino não se perca pelo nome...

VEJA MAIS: CEARÁ - AS PRIMEIRAS IMPRESSÕES DE LISCA NO COMANDO | NA PRANCHETA #22

 

ALAN NETO