PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Nada vezes nada...

2018-05-28 01:30:00

COMO milagre não acontece em futebol, esperar que o Ceará melhorasse contra o Grêmio apenas por ter mudado de comando, aí seria demais. Mudou o técnico, fez bem. Mas se o elenco continua o mesmo, nada vezes nada é nada mesmo.


DEU o que já se esperava. Grêmio venceu (1x0) diante de um Ceará apenas se esforçando para não ser goleado. Quem sabe, mostrar serviço à Jorginho que estreava. Culpá-lo pela derrota? Ele entrou, isto sim, numa fogueira crepitante.


PARA reverter a situação de um time aos pandarecos que só faz perder e decepcionar sua imensa torcida, a saída é aquela que até um garoto de jardim de infância sabe: contratar reforços de qualidade. Por baixo, uns cinco imediatamente.


TODOS sabem. Menos o presidente Robinson que parece não ouvir os rogos, as vaias, os xingamentos da torcida que de há muito perdeu a paciência? Ele está atento, claro, e promete novidades. Que não passe de palavras ao vento.


DIFÍCIL mesmo será tirar o Alvinegro do atoleiro em que se acha. Até o jeito de jogar o time perdeu. Em campo um bando de zumbis correndo às tontas. Assim fica (quase) impossível.


O DONO DA BOLA


- CEARENSE Éverton realizou o sonho de jogar pela primeira vez no Castelão. Foi o nome do jogo e o dono da bola. Com menos de 5 minutos meteu uma bola na trave. Lance do gol (pasmem) saiu da intermediária do Ceará sem ninguém a assediá-lo. Na área, lançou Anderson livre.


DENTRO DO MESMO TOM


... GRÊMIO, mesmo sem suas principais estrelas, envolveu fácil o Ceará com toques de bolas. Tudo dentro do mesmo tom ritmado, de quem sabe onde o outro está.


... CHEGAVA a área com facilidade sempre pelas laterais duas avenidas escancaradas. Vinda de Samuel Xavier e nada foi a mesma coisa. Por lá Éverton passeou à vontade.


... AINDA bem existe Éverson debaixo das trave para salvar o Ceará de um vexame maior. Contado nos dedos três defesas de pagar ingresso. Não fosse ele, o que seria do Alvinegro?


CRÔNICA DA DERROTA ANUNCIADA


- QUANDO se esperava que Jorginho promovesse alguma mudança, eis que aparece com o mesmo time, as mesmas caras, o mesmo péssimo futebol, herança maldita deixada por Chamusca.


- PRAXE quando um treinador estreia é mudar alguma coisa num time que só sabe perder e se atola cada vez mais na zona de rebaixamento. Para que serviram enfim três treinos secretos se na hora do jogo entrou em campo com a mesma equipe perdedora?


- FRUSTRAÇÃO geral. É a crônica da derrota anunciada. Time que quebrava a bola, jogava pedra na lua, lá estava de novo em campo. Sem tirar nem por a cara mofada do Chamusca. Qualquer torcedor sabia o que iria acontecer. Só os parvos não enxergam um milímetro adiante do nariz.


- QUEREM um exemplo? Dou-lhes três. O que fazem ainda no time do Ceará - Juninho, Felipe Azevedo, Élton? Até o Richardson desaprendeu. Alguém por acaso viu o Ricardinho em campo ou sequer um lançamento da sua autoria.


- NÃO tenham uma síncope. Único chute perigoso em direção ao gol do Grêmio, foi de Douglas Coutinho. Muita gente nem sabia que ainda estava no Ceará. Resumo da ópera. Ceará entrou em campo pedindo para perder. 1x0 ainda foi pouco.


TRANCOS & BARRANCOS


FERROVIÁRIO empatou de novo (0x0) dentro do PV, agora contra o Cordino. Ou o Ferrão não sabe vencer no PV ou o time é ruim de doer. Prefiro a segundo hipótese. O jogo foi uma droga, uma pelada.

A torcida coral é pequena, mas esquentada. E tome vaia. Ainda assim, aos trrancos e barrancos, passou pra próxima fase da Série D. Porém, não demorará muito tempo lá. Podem crer.

Gabrielle Zaranza

TAGS