PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Entre a zebra e o voleio

2018-01-22 01:30:00
NULL
NULL

 
ARTILHEIRO, quando o é, a camisa não só cheira a gol, quanto a bola o procura na hora da definição. Gustavo, o Gustagol, em campo contra o Maranguape, ontem no Castelão, longe de ser aquele atacante insinuante que, dias antes, destroçara o Uniclinic, andou sumido a maioria do tempo. Não por marcação cerrada, e sim, porque pouco foi acionado.

ATÉ o momento, reta final, Tinga escalou pela direita livre, levantou a cabeça, alçou a bola na medida certa. Gustavo, de costas para o gol, ao perceber que a bola podia fugir ao seu alcance, resolveu aplicar um voleio aéreo, quase uma bicicleta. Téo sequer se mexeu debaixo das traves. Golaço digno de levar o torcedor à loucura, tão belo que foi.

Também foi só o que Gustagol fez. E precisava fazer mais do que aquilo?

VITÓRIA merecida (2 a 0) diante de um Maranguape, brioso e lutador, vendendo caro a derrota. Tão diferente do Uniclinic. Se é que vale como consolo.

A PRIMEIRA ZEBRA


... NÃO vem ao caso se o Ceará mandou o time B, para enfrentar o Iguatu, no Morenão. Vem ao caso que estava em campo o Ceará.


... SE optou pelo time reserva, problema dele. E se imaginou, mesmo assim, venceria fácil, estrepou-se. Perdeu de 2x1, primeira zebra do campeonato.


ANTES QUE (EU) ESQUEÇA


RODADA recheada de jogos ruins, medíocres, regulares, difícil se colocar a casa (e a mente) em ordem. A bagunça instalou-se.


FERROVIÁRIO de virada venceu o Tiradentes. 2 a 1 para um PV entregue as moscas. Mota finalmente deu o ar da graça balançando as redes.


HORIZONTE, mal das pernas, perdeu mais uma vez. Agora, dentro de casa para o Floresta (2 a 1). Horizonte é sério candidato ao rebaixamento.


DETALHE. Gol de letra de Arthur em Iguatu, uma pintura. Podia ter sido o mais bonito da rodada, não fora o voleio aéreo do Gustagol.


E O Bruno Melo! Tem lá quem tome a posição dele. 

[FOTO1] 

TAGS