PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Semifinal à moda antiga...

2017-03-28 01:30:00
HOUVE DE TUDO, MENOS PÚBLICO

 

MODELO do campeonato, caminhava até bem, sequências de mata-mata. De repente, chegada da semifinal, resolveram mudar o critério.


O QUE foi feito? Dar mergulhada no túnel do tempo, há 20 ou 30 anos, retirando do mofo do baú das recordações, ressuscitando a medieval melhor de três.


TRADUÇÃO. Dois jogos de cada, entre os quatro semifinalistas, em duas ou até três partidas. Última hipótese, decisão por pênaltis.


POR QUE não seguir a trilha do mata-mata mais excitante, como aconteceu nas quartas de final? Enxerga-se mais além a verdadeira intenção do autor da fórmula.


QUAL mesmo, cara-pálida? Apostando numa pretensa decisão entre Ceará e Fortaleza, possibilidade de maior público, por via de consequência, maiores rendas.


PRA dar certo falta só combinar com Ferroviário e Guarani-J, que estão aí mais vivos do que nunca, dispostos a fazer estragos.


QUE TAL 110?

. GOL número 100 de Magno Alves não foi bonito. O de 99 foi muito mais, no corta-luz feito pelo Lelê. Importa ao Magnata ter chegado à marca, embora queira muito mais. Que tal 110?

 

OS DOIS REIS

. MAGNO Alves, após Castelão ter se transformado em Arena, passou a ser o novo rei, com 47 gols desde 2013. Edição anterior, a coroa continua com Geraldino, hoje morando em Juazeiro.

 

CÓPIA FIEL

. SINCERO, Zé Carlos é de sobra. Perguntaram se tinha feito gol parecido com aquele contra o Tiradentes. Respondeu que sim. Pelo Criciúma, contra o Boa Esporte, quando já era conhecido como Zé do Gol.

 

ÚLTIMO GONGO

. ZAGUEIRO Heitor livrou-se, mais pela ruindade de Itaitinga, de ter sido condenado pela torcida do Fortaleza para sempre. Após a pixotada homérica, se Itaitinga tivesse balançado as redes, Heitor estaria frito. E mal pago...

 

PONTA DE LANÇA

TRISTEZA geral. Mesmo com Ceará e Fortaleza, presença de público, somando os dois, não chegou aos dez mil pagantes. Triste /// VOLTO a repetir. Concorrer com televisão ao vivo, além de cruel e perverso, é criminoso também /// BEIRA do gramado, microfones das tevês abertos, Vladimir de Jesus gritou todos os palavrões do mundo. Saber orientar gritando é uma coisa. Desfiar rosário de palavrões, Jesus briga e castiga...


ATENTEM

Árbitro Glauco Feitosa, já sambado no apito, no jogo Ferrão e Horizonte, abusou de marcar faltas. Nas 25, parei de contar. Jogo truncado e feio. No Castelão, Avelar Rodrigo, deu um show de como se apita, deixando jogo correr e bola também. Glauco bem podia tomar lições com o Avelar

Adriano Nogueira

TAGS