PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Orgasmos de 30 minutos, ejaculação feminina e orgasmos secos

01:30 | 12/03/2018
Na terapêutica individual ou nas práticas de casal, chamada de delerium ou treinamento multiorgásticos, não incomum, é possível vivenciar diferentes níveis de prazer. Na prática, técnicas que podem levar aos “famosos” 30 minutos de orgasmo, à ejaculação feminina e ao que se chama de orgasmo seco para os homens.

O orgasmo masculino é caracterizado por um pico de excitação, seguido por uma baixa de energia e necessita de um estado de latência para se recuperar e voltar a sentir prazer. A técnica do tantra desenvolve o sentir prazer sem, contudo, ejacular. Assim, Magna explica o que chamam de “orgasmo seco”, que prolonga a atividade sexual.

Já na mulher, o orgasmo não significa o fim. “Ela entra em um linha de prazer e pode continuar subindo e entrando em outras linhas de prazer. Em cada uma dessas linhas, ela está vibracional e fica em estado orgástico. Ela tem os picos de orgasmo mais fortes nesse processo”, descreve.

Durante os picos de prazer, algumas mulheres podem expelir um líquido translúcido. A origem desta “ejaculação feminina”, que, sim, existe, ainda é uma incógnita. Débora Britto, médica ginecologista e sexóloga da Maternidade Escola Assis Chateaubriand da Universidade Federal do Ceará (Meac - UFC), conta que não há consenso sobre de onde vem a “ejaculação”. “Temos várias glândulas que produzem secreção e temos a lubrificação vaginal decorrente da excitação. Pode acontecer uma expulsão desses conteúdos pela contração da musculatura que acontece no orgasmo. Essa é uma hipótese”, conta. (Domitila Andrade)

GABRIELLE ZARANZA