PUBLICIDADE
Jornal

BATE-PRONTO

A atriz e humorista Tatá Werneck está grávida de cinco semanas, do ator Rafael Vitti, e enfrenta uma gestação complicada por ser vítima de endometriose. O problema é crônico e o tratamento delicado. A endometriose atinge de 6% a 10% das mulheres em idade fértil.

Março é o mês da conscientização da endometriose e a médica especialista em Medicina Reprodutiva, Lilian Serio, reacende o alerta. Em entrevista para nossa coluna, ela explica o que é a doença, os sintomas e o tratamento. Cerca de 30% das pacientes têm chance de ficar estéril, de acordo com a Associação Brasileira de Endometriose.

O POVO - O que é a endometriose?

LILIAN SERIO- A doença se caracteriza pela presença de tecido endometrial (camada interna do útero) em outros órgãos como: ovários, trompas, bexiga, intestino e cavidade pélvica-abdominal.

OP - Quais são as principais consequências da patologia?

LS - São as dores menstruais, dores pélvicas crônicas, dores no ato sexual, ao urinar e ao defecar, infertilidade e ainda outras manifestações menos comuns, como a dor em membros inferiores.

OP - Existe tratamento para a endometriose?

LS - O controle da endometriose deve ser contínuo e realizado por um grupo multidisciplinar, composto por psicólogos, nutricionistas, especialistas no tratamento da dor, sexologistas, e não apenas por um ginecologista.

OP - Então, é uma doença crônica que acompanha a mulher pelo resto da vida?

LS - É uma patologia que a mulher carrega durante toda a sua vida reprodutiva. O importante é tentar diagnosticar e controlar adequadamente a doença, melhorando a qualidade de vida da paciente e aumentando suas chances de viver sem dor e sem infertilidade.

TAGS