PUBLICIDADE
Jornal

Gengibre x infecção generalizada

|ALTERNATIVA | Pesquisadores da UFC descobriram que os gingeróis auxiliam na proteção das funções renais e melhoram o prognóstico de pacientes com sepse

25/02/2019 04:42:57
GINGERÓIS: benefícios anti-inflamatórios e antioxidantes melhoram função renal
GINGERÓIS: benefícios anti-inflamatórios e antioxidantes melhoram função renal

Para melhorar o prognóstico de pacientes que chegam aos hospitais em condição de sepse polimicrobiana (infecção generalizada), pesquisadores da Universidade Federal do Ceará têm buscado tratamentos alternativos a partir de componentes do gengibre, capazes de combater disfunções renais e metabólicas associadas à sepse. A pesquisa, feita no Laboratório de Toxinologia Molecular, foi publicada no periódico Scientific Reports, da Nature.

Os componentes isolados e estudados são os gingeróis, responsáveis pelas características de pungência e ardor que sentimos ao comer o gengibre. Segundo as pesquisas realizadas, essas substâncias, amplamente presentes na culinária e na medicina alternativa oriental, melhoram o funcionamento do rim e podem resultar em um quadro geral positivo para o organismo dos pacientes.

Inicialmente, testes realizados com rins saudáveis de ratos revelaram dois fatores importantes a partir da administração dos gingeróis nos animais: o primeiro foi a poliúria, aumento da formação de urina pelo rim e maior fluxo urinário; o outro foi a natriurese, aumento da excreção de sódio junto com a urina.

Nas disfunções renais, alguns dos principais sintomas são justamente a diminuição na produção de urina e o desequilíbrio na excreção do sódio. Como os gingeróis afetaram diretamente essas características, os pesquisadores decidiram iniciar os testes com rins disfuncionais e também obtiveram resultados de melhora renal.

Esses são fatores importantes para o combate à sepse, que pode ter como uma das consequências justamente a disfunção dos rins, caracterizada por queda nas reservas antioxidantes e participação significativa de agentes inflamatórios, problema que piora consideravelmente o prognóstico dos pacientes e, em geral, leva à morte. "O trabalho é para evitar isso e prevenir o impacto negativo de quando a lesão renal surge junto com a sepse", explica o professor Alexandre Havt, orientador da pesquisa.

Justamente por conta da alta mortalidade de pacientes cuja infecção chega a esse estágio, mecanismos que possam proteger o sistema renal são de grande importância. "Quando a sepse evolui, ocorre o estágio de falha de múltiplos órgãos, e um dos principais atingidos é o rim. Esse é um quadro clínico geralmente difícil, que o médico tenta evitar", diz Adelvane Rodrigues, autor do estudo de doutorado com os gingeróis.

Além disso, o paciente com sepse precisa de fármacos antibióticos para combater a infecção, remédios que podem aumentar as chances de falhas renais. Esse é outro motivo para que o tratamento tradicional seja acompanhado de alternativas que possam criar equilíbrio no organismo. Auxiliando na recuperação da normalidade do rim e reduzindo inflamações e estresse oxidativo, os gingeróis podem evitar um patamar mais grave. (Kevin Alencar / Agência UFC)

HELOISA VASCONCELOS

TAGS