PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

"Ondas de Leste" induzem chuvas no Ceará até julho

Fenômeno responsável por precipitações recentes é comum e tende a ser mais favorável à costa leste do Nordeste

13/06/2019 01:31:14
CHUVA iniciada na noite da terça-feira, 11, surpreendeu os fortalezenses
CHUVA iniciada na noite da terça-feira, 11, surpreendeu os fortalezenses (Foto: Fco Fontenele)

Episódios intensos e prolongados de chuva têm surpreendido cearenses neste mês de junho. Provocadas pelo sistema meteorológico Distúrbios Ondulatórios de Leste (DOL) — ou "Ondas de Leste" —, as precipitações tiveram início ainda em maio, pouco antes do fim da quadra chuvosa convencional, e devem permanecer, pelo menos, até o próximo mês de julho.

A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) explica que o fenômeno é comum neste período do ano e incide com mais frequência na costa leste do Nordeste, entre Rio Grande do Norte e Pernambuco, passando pela Paraíba. "Chove bastante em capitais como Natal, João Pessoa e Recife", assegurou o meteorologista Raul Fritz.

Das sete horas da manhã da última terça-feira, 11, até o mesmo horário de ontem, 12, foram registradas chuvas em 69 municípios cearenses, a maioria ao norte do Estado. Contudo, embora ainda esteja vívida na lembrança do fortalezense a chuvarada da terça-feira — a média, na Capital, foi de 96,8 milímetros, segunda maior entre os municípios —, as Ondas de Leste tendem a induzir precipitações rápidas e menos intensas no Ceará.

Ainda de acordo com Raul Fritz, dependendo da intensidade do sistema, as chuvas podem ultrapassar o litoral do Estado e chegar a regiões como o Vale do Jaguaribe e o Maciço de Baturité. "Essas chuvas (provocadas pelos DOL) são mais importantes para os estados a leste do Nordeste. Vez por outra, alcançam o Ceará. São esporádicas", explicou o cientista.

Segundo os meteorologistas, os DOL são áreas de instabilidade de ventos que avançam para o continente vindas do oceano Atlântico. O sistema atua entre junho e agosto e não tem conexão direta com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que é o principal fenômeno responsável pela quadra chuvosa no Ceará e que se afasta, costumeiramente, em maio. O que pode estar ampliando a intensidade das Ondas de Leste é a temperatura da superfície do mar. "As águas estão mais aquecidas do que a média, próximo a nossa costa", disse Fritz. O comportamento meteorológico deve, portanto, continuar influenciando o Estado. A previsão da Funceme para esta quinta-feira é de tempo nublado com eventos de chuva ao centro-norte e ao sul.

Uma semana atrás, O POVO divulgou balanço do Governo indicando que o Ceará havia saído da quadra chuvosa com precipitações dentro da normalidade para o período — entre fevereiro e maio. O registro acarretou aporte de 2,75 milhões de metros cúbicos de água no sistema de abastecimento estadual, alcançando, 21,46% da capacidade de armazenamento.

(colaborou Alexia Vieira)

Chuvas no Ceará

> Maiores chuvas por posto entre 7 horas

de 11/06 até 7 horas de 12/06:

São Gonçalo Do Amarante: 114 mm

Fortaleza: 96,8 mm

Uruburetama: 95 mm

Maracanaú: 90,4 mm

Paracuru: 90 mm

Caucaia: 84,2 mm

Fonte: Calendário das Chuvas

Luana Severo

TAGS