PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Ceará quer desenvolver competências socioemocionais para garantir avanço

| Educação | Prêmio Escola Nota Dez contemplou 337 escolas na manhã de ontem, em solenidade no Centro de Eventos do Ceará

07/06/2019 00:43:33
(Foto: )

Para consolidar os bons resultados na "base" escolar, que já alcançou 89,6% dos alunos saindo do 2º ano sabendo ler e escrever, a educação no Ceará ainda precisa qualificar o processo educacional, o projeto pedagógico e trabalhar as competências socioemocionais a fim de "olhar para a formação mais integral da criança". Essa é a avaliação da vice-governadora Izolda Cela.

Os anos finais do Ensino Fundamental, principalmente a disciplina de matemática, ainda são as maiores dificuldades, conforme dados do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Estado do Ceará (Spaece)referentes ao ano de 2018. Na manhã de ontem, 337 escolas de 182 municípios foram agraciadas na 11ª edição do Prêmio Escola Nota Dez, no Centro de Eventos do Ceará.

"Não tem zona de conforto, mesmo na alfabetização, que os percentuais são mais elevados. Ainda assim tem desafios. Qualificar o processo, o projeto pedagógico e estamos desafiando as redes a trabalhar com competências socioemocionais para olhar para essa formação mais integral da criança", amplia. Essa melhoria nos anos escolares iniciais, conforme Izolda, garante sustentação para uma mudança mais efetiva no Ensino Médio. "Em 2017, o Ensino Médio era uma catástrofe, níveis altíssimos de abandono. Hoje, nós temos uma situação bem diferente. Não estou dizendo que está ideal, claro que não."

Eleger escolas com indicadores mais comprometidos como prioritárias, garantir a criação de planos de apoio aos alunos com mais dificuldade de aprendizagem, acompanhamento diário da frequência escolar, ampliar o modelo de tempo integral e promover o protagonismo juvenil são ações voltadas a mitigar esse problema.

À medida que a série avança, as dificuldades se acentuam. No 5º ano, 53,7% dos alunos apresentaram "nível adequado" em Língua Portuguesa e 41,2% em Matemática. No 9º ano, 21,8% dos alunos apresentaram "nível adequado" em Língua Portuguesa e 12,7% em Matemática. Com relação aos municípios, 65 foram categorizados em "nível adequado" de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática. Já no 9º ano, 155 apresentaram o melhor nível em Língua Portuguesa e 48 em Matemática.

Os avanços são conferidos ao Programa Aprendizagem na Idade Certa (Paic). "Uma política continuada, meritocrática, pactuada com os municípios", caracteriza o governador Camilo Santana. "Todos os indicadores melhoraram. 2018 teve os melhores resultados desde que o programa começou. A melhor educação pública de Ensino Fundamental do País é do Ceará. No último Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), das 100 melhores públicas do Brasil, 82 são do Ceará. Já vemos os resultados no Ensino Médio. Das 100 melhores escolas do Brasil, 13 são do Ceará. A cada ano que passa, a exigência e o desafio de melhorar é maior".

Das escolas premiadas ontem, 150 são do 2º ano, 150 do 5º ano e 37 do 9º ano. A premiação para cada escola é de R$ 2 mil por aluno avaliado. Aquelas que precisam melhorar seu desempenho no processo avaliatório também recebem R$ 1 mil por estudante.

ANA RUTE RAMIRES

TAGS