PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Oficina de horto e jardinagem oferece nova perspectiva a jovens do Passaré

| Espaço Viva Gente | 450 pessoas, de crianças a idosos, recebem serviços de convivência e de fortalecimento de vínculos. Famílias do bairro Passaré são foco

07/06/2019 01:34:51

Caminhar entre os jardins do Espaço Viva Gente (EVG) sem admirar árvores, flores e fileiras de pequenas mudas dispostas é quase impossível. Foi assim que Anagela Alves, 16, se interessou pela oficina de horto e jardinagem oferecida no local. A partir das produções do curso, cerca de 200 pessoas do bairro Passaré costumam receber, por mês, mudas de plantas cultivadas pelos alunos.

A paixão de Anagela pelo cultivo das plantas e manuseio de ervas medicinais é tão vívida que ela até sonha em se tornar uma fitoterapeuta. "Eu entrei no curso porque queria saber qual era o melhor jeito de plantar e para o que as plantas serviam. Mas, assim como o nosso professor, gosto mesmo é de produzir remédios, xaropes e lambedores", revela.

Segundo o instrutor e fitoterapeuta do curso Robenildo Sabino, 63, seu trabalho é guiado por um desejo de que os seus alunos se tornem "multiplicadores na comunidade", no sentido de beneficiar as pessoas da região onde moram. "enho um prazer enorme em ministrar essa oficina, e meu único desejo é que eles absorvam esse conhecimento", afirma.

Gabriel Lenine, 19, é um dos alunos da oficina. No caso do jovem, o grande interesse é pela jardinagem. O contato com a grama, o manuseio dos equipamentos e a admiração pelo brotar das flores tornou o jovem mais um entusiasmado com o ofício. "Eu via o cuidado que eles tinham com as plantas e fiquei interessado em participar", declara. E esse entusiasmo tem explicação. Agora, após a turma receber mudas de uma planta ornamental rara, conhecida como Rosa do Deserto, ele e Anagela ficaram animados para cultivá-las. "Não vejo a hora de (a flor) crescer", diz Lenine.

No Espaço Viva Gente, 450 pessoas do bairro Passaré, de crianças a idosos, recebem serviços de convivência e de fortalecimento de vínculos. A coordenadora do EVG, Socorro Ximenes, explica que as crianças e adolescentes que buscam participar das oficinas devem estar matriculadas na escola, e os serviços de convivência pretendem associar temáticas como direitos humanos, saúde, meio ambiente e cidadania. "As crianças alternam o período de aulas na escola com os projetos do EVG. Temos, inclusive, grupos de famílias que participam das atividades por aqui", acrescenta.

O espaço oferece cursos de iniciação profissional, como os de costura, informática básica e estamparia digital; as oficinas de biscuit, horto e jardinagem, e artes decorativas; além de aulas de balé, chorinho, teclado, violão, técnica vocal; e ainda, para aqueles que gostam de esportes, a unidade oferece aulas de karatê, atletismo e futebol.

Serviço

As inscrições para as oficinas e cursos ofertados podem ser realizadas na sede da própria EVG (avenida Maria Mirtes Pereira, 1010, Passaré - Fortaleza).

Horário: das 8 às 17 horas

Telefone: (85) 3101 3018

Ismia Kariny ESPECIAL PARA O POVO