PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Estado anuncia ajuda para a manutenção do abrigo São Lázaro

27/05/2019 01:36:09
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26-05-2019: A Secretaria do Meio Ambiente do Ceará, encerra a Semana da Biodiversidade, no Parque do Cocó, no bairro Papicu. (Foto: Mauri Melo/O POVO).
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26-05-2019: A Secretaria do Meio Ambiente do Ceará, encerra a Semana da Biodiversidade, no Parque do Cocó, no bairro Papicu. (Foto: Mauri Melo/O POVO). (Foto: Mauri Melo/Mauri Melo)

No encerramento da Semana da Biodiversidade, nesse domingo, 26, no Parque Estadual do Cocó, o Governo do Ceará firmou parceria com o abrigo São Lázaro — ONG de Fortaleza que acolhe cães e gatos abandonados desde 1996. Segundo o secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno, a cooperação técnica consiste em uma campanha mensal de arrecadação de rações e de produtos de limpeza e no deslocamento de um funcionário do Estado para colaborar na manutenção do espaço.

A estratégia corrobora a intenção governamental de, até o final de 2019, ter consolidada uma rede de proteção que inclui coordenadoria dedicada ao assunto e legislação própria de proteção e bem-estar animal.

Sobre o vínculo da Secretaria do Meio Ambiente (Sema) com o São Lázaro, a gestora ambiental Mônica Carvalho afirmou que, além de recolher alimentos e produtos de limpeza nos últimos domingos de cada mês no Parque do Cocó para a ONG, também se propõe um evento de estímulo à adoção consciente de animais domésticos. "Pra desafogar um pouco o abrigo", defende ela.

No São Lázaro estão mais de 800 cães e gatos, de acordo com a presidente do abrigo, Bárbara Dantas. 

 

Clique na imagem para abrir a galeria

Semana da Biodiversidade alertou para os riscos do descarte inadequado de lixo

Canudos de plástico, tampinhas de garrafa PET e bitucas de cigarro são comumente descartados de maneira incorreta ao longo do Parque Estadual do Cocó, da nascente à foz. Sendo a gestão dos resíduos sólidos um tema caro para o Governo e para a população cearense, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) decidiu que a Semana da Biodiversidade deste ano tentaria propor a conscientização dos riscos desse descarte inadequado para a fauna e a flora nativa do parque.

“O descarte inadequado é extremamente prejudicial, principalmente, pra fauna”, afirmou Dóris Santos, coordenadora de Biodiversidade da Sema. Segundo ela, o lixo afeta a reprodução dos bichos e a preservação da mata. E, quando vem da nascente, consegue ser ainda mais destrutivo. “Pode ser carrilhado ao longo do rio e chegar até a foz, poluindo o oceano”.

Artur Bruno, secretário do Meio Ambiente, enfatizou que a gestão correta dos resíduos sólidos é estimulada frequentemente pela Sema, principalmente aos domingos, quando tanto o Parque do Cocó como o Parque Estadual Botânico, em Caucaia, recebem o público para a programação do projeto Viva o Parque. “Depois da água, o maior desafio ambiental do Ceará é o lixo”, reconheceu. Disse, também, que o Estado está nos preparativos finais dos 103 últimos planos municipais de gestão de resíduos sólidos. “Até setembro, todos os municípios terão”, garantiu.

FORTALEZA, CE, BRASIL, 26-05-2019: A Secretaria do Meio Ambiente do Ceará, encerra a Semana da Biodiversidade, no Parque do Cocó, no bairro Papicu. (Foto: Mauri Melo/O POVO).
FORTALEZA, CE, BRASIL, 26-05-2019: A Secretaria do Meio Ambiente do Ceará, encerra a Semana da Biodiversidade, no Parque do Cocó, no bairro Papicu. (Foto: Mauri Melo/O POVO).

A cidadã.

Professora municipal, Andrea Cidrack, 37, não perde oportunidade de proporcionar conhecimento às filhas Laura, 6, e Mariana, 4, e à sobrinha Ana Luísa, 8. Ontem, no encerramento da Semana da Biodiversidade, as meninas se demoraram aprendendo sobre a fauna e a flora do Parque do Cocó. “A gente sempre vem porque sempre tem alguma coisa diferente, principalmente, pras crianças”, elogiou.

Luana Severo