PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Atividades marcam o Dia Mundial da Saúde

|Parque do Cocó| Das consultorias para escolha dos melhores alimentos às atividades físicas, evento convidou população a repensar o cuidado com a saúde

08/04/2019 02:30:32
Ayla Byanco Araújo, 5 anos, aprendendo como fazer massagem cardíaca
Ayla Byanco Araújo, 5 anos, aprendendo como fazer massagem cardíaca (Foto: Evilázio Bezerra)

"Saúde é o mais importante". A frase é usual, mas de fato é prática na vida de Aurilene Araújo, 28. Aos 26 anos ela se percebeu indisposta, hipertensa e com glicemia bem acima da média. "Pensei que eu precisava mudar meus hábitos, então emagreci mais de 30 quilos e levo o meu bem-estar muito a sério", diz a diarista. O start para o autocuidado foi a filha Ayla Araújo, 5. "Eu pensei que precisava me sentir bem para dar exemplo para ela". Na manhã de ontem, durante atividades de promoção em saúde no Parque do Cocó a pequena Ayla, que já aprende com a mãe a importância do cuidado com a própria saúde, aprendeu também a cuidar da saúde dos outros.

Com o tema "Prevenção hoje, saúde todo dia", o Dia Mundial da Saúde, celebrado em 7 de abril, foi comemorado com diversas atividades no Parque do Cocó. Em paralelo às atividades do Viva o Parque, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) disponibilizou testes de bioimpedância (exame que avalia a composição corporal e indica a quantidade aproximada de músculo, osso e gordura), glicemia, aferição de pressão, auriculoterapia, massoterapia, orientação alimentar, entre outros.

Conforme Letícia Arraes, estudante de nutrição e participante do projeto Pró-Ensino, da Sesa, o cuidado da saúde envolve questões mais complexas que a hospitalização. "A promoção é a base de tudo para saúde porque não adianta a gente estar só no método curativo, dando medicamentos, enchendo hospitais, sendo que o básico também precisa ser feito. O ideal é promover a saúde antes do agravo. E não entender a saúde só como uma questão de não ter doença. Saúde é qualidade de vida, bem estar, hábitos saudáveis, é uma coisa muito mais complexa do que só doença, remédio e hospital", disse.

No local, adultos e crianças treinaram técnicas de salvamento e reanimação com o Samu Ceará, praticaram alongamentos, ginástica laboral e terapia ocupacional. Enquanto realizava avaliação de glicemia Henrique Neto, 66, disse que colheu benefícios ao mudar hábitos: "Fez diferença. Eu deixei de beber, me sentia inchado, deixei de fumar, fiquei mais leve".

Foi assim também para a Paula Oliveira, 33. Tanto que esse domingo no Parque foi só mais um. Ela e a filha sempre frequentam o local tanto para o lazer quanto para atividade física. Ontem, a pequena Maria Lis Feitosa, 3, apontou direitinho os alimentos mais saudáveis. "Eu comecei a perceber que era importante se preocupar com esporte, qualidade de vida, alimentação, sair do sedentarismo... a gente vai buscando coisas mais saudáveis", encerra Paula.

EDUARDA TALICY