PUBLICIDADE
Jornal

Linha Leste do metrô deve ficar pronta em 2022

| MOBILIDADE | Escavação de túneis para passagem dos trens do Metrofor deve começar em janeiro. Com projeto readequado, linha vai do Centro ao Papicu

08/11/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )

[FOTO1] 

Depois de três anos de obras paradas, o governador Camilo Santana (PT) declarou novo início da construção da linha Leste do Metrofor. Até 20 de novembro, o espaço de passagem para as tuneladoras, chamado de shaft, deverá ficar pronto. Ainda no início de janeiro de 2019, as escavações para passagem dos trens devem começar. A entrega do metrô em pleno funcionamento está prevista agora para 2022.

 

O prazo de quatro anos inclui as obras das passagens subterrâneas e a construção de novas estações para o modal. A nova linha interliga o Centro ao bairro Papicu.

 

Anteriormente, o projeto previa extensão até o bairro Edson Queiroz, mas precisou ser remodelado para caber no orçamento previsto, de acordo com o governador. Com 7,3 km, o metrô funcionará também conectado à linha Sul, já em operação, e ao VLT Parangaba/Mucuripe.

 

Lúcio Gomes, secretário da Infraestrutura, afirma que pelo menos 200 mil pessoas serão beneficiadas com o metrô. O tempo de viagem do percurso deve ser de 15 minutos. "A verba de R$ 1,8 bilhão contempla toda a obra, inclusive a construção de estações Colégio Militar, Chico da Silva, Nunes Valente e uma ao lado do terminal do Papicu".

 

Bilhete que integra ônibus e metrô deve ser lançado para baratear o custo das passagens.

 

Moradora do Centro há décadas, a aposentada Miriam Santos, 85, está na expectativa de que a conclusão das obras do metrô e a instalação de estação na avenida do Imperador ajudem na resolução do problema que a via enfrenta há anos. Em todos os períodos chuvosos, o local enche de água de esgoto que não escoa de forma apropriada, entrando nas casas e prejudicando a vida dos moradores. Ela diz que espera melhorias na avenida e uma praça para caminhar.

 

Por meio de financiamento, o Estado terá disponível R$ 1 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investir nas obras. Além disso, R$ 673 milhões virão do Governo Federal. Para firmar a parceria, o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), e o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, estavam presentes no evento de assinatura da ordem de serviço.

 

Eunício reiterou a importância de garantir a verba até o fim de seu mandato, já que não conseguiu reeleição. Ele diz que as burocracias técnicas para conseguir o dinheiro foram resolvidas e o montante já está disponível para o governo do Ceará. Camilo ainda lamentou a derrota do aliado e classificou como "prejuízo para o Estado". O governo estadual deve entrar com contrapartida de R$ 186 milhões.

 

A linha leste do metrô

 

Em 2013, as obras começaram, com projeto para linha de 12,4 km, do Centro ao Edson Queiroz.

 

Em 2015, o consórcio Cetenco-Acciona foi revisto e as obras, interrompidas.

 

Em 2017, máquinas tuneladoras compradas pelo Estado em 2013 começaram a ser montadas.

 

Em abril de 2018, com verba para 7,3 km, projeto é remodelado e nova licitação é ganha por consórcio da Ferreira Guedes e a espanhola Sacyr 

Construcción S.A. Em agosto, licitação foi barrada por medida cautelar no Tribunal de Contas do Estado. Revogada a medida, a ordem de serviço é assinada.

 

 

Alexia Vieira

TAGS