PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Separação de mãe e filho exige cuidados

cidades

06/10/2018 01:30:00

Não há explicação efetiva sobre o que aconteceu com Amanda e Vitor Hugo. A psicopedagoga Eveline Rodrigues Câmara pondera a importância do vínculo entre pais e filhos, seja no período gestacional natural ou no adotivo. "É uma relação permeada por afetos, desejos, antes mesmo do nascimento. Quando se fala em vínculo precisamos falar também em símbolos que o envolvem".

 

Qualquer tipo de separação, explica Eveline, exige cuidado. As dores emocionais podem reverberar também no corpo. "Sofrimento gera sintomas. Para essa mulher, as convulsões podem ser parte disso também. O corpo é um só", destaca.

 

Amanda tem a esperança de voltar a ter o filho em casa. Fala sobre a data de aniversário de um ano como um marco e acredita estar melhor para poder cuidar de Vitor Hugo. "Porque agora eu estou numa situação melhor, mais memorizada. Meus pensamentos não estão mais tão aéreos. Estou bem melhor", garantiu.

 

HISTÓRIA DE MÃE E BEBÊ

 

Vitor Hugo nasceu com 2 kg e precisou ficar seis dias na UTI neonatal e 19 dias na UTI de Médio Risco.

 

Um dia após "acordar" a mãe, o bebê foi para casa e foi cuidado pelo pai, Daniel Francisco Augusto.

 

Amanda e Daniel são paulistas e vieram para Fortaleza há quatro anos, buscando ajuda do pai dele e mais possibilidades de emprego.

TAGS