PUBLICIDADE
Jornal

Um setembro para refletir sobre políticas de deslocamento

|Periferia| No mês da mobilidade, O POVO reflete sobre avanços na política do deslocamento. Já foram ampliadas para 238,7 km de infraestrutura cicloviária em Fortaleza. Trinário da Duque de Caxias deve iniciar no primeiro trimestre de 2019.

12/09/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )

[FOTO1] 

Daqui a dois anos, Fortaleza será a Capital do País com a maior quantidade de quilômetros de ciclovias e ciclofaixas se comparado proporcionalmente à extensão da malha viária. Hoje, a Cidade possui cerca de 4.400 quilômetros de ruas e avenidas e 238,7 quilômetros de rotas ciclísticas. Em 2020, a extensão destinada às bicicletas deve chegar a 400 quilômetros. E esses caminhos devem ser direcionados, prioritariamente, às regiões mais periféricas da Cidade, como o bairro Siqueira e o Bom Jardim. Em setembro, mês da mobilidade, O POVO levanta a discussão sobre a locomoção na Cidade. No próximo dia 22 é o Dia Mundial sem carro.

[SAIBAMAIS] 

Murilo Viana, 28, nunca teve automóvel. Para ir de onde mora, no Rodolfo Teófilo, ao trabalho, no Campus do Pici, o servidor público escolheu um tipo deslocamento não poluente, que não fica preso em engarrafamentos, de baixo custo e, ainda, com o qual pode fazer exercícios. Essa maravilha se chama bicicleta e a mudança, do ônibus para a "magrela" que ele fez na saúde e bem estar custou somente R$ 200. "Faz três anos que eu uso bicicleta. Não vou para todo canto, algumas vezes pego carona. Mas a maioria dos locais que eu ando é de bike. Para o trabalho, para a praia, para fazer compras, encontrar amigos na Praia de Iracema", descreve.


O jovem tem a sorte de ter ciclovias em quase todos os caminhos pelos quais precisa passar. A Cidade tem, em toda sua extensão, apenas cerca 9% de rotas para bicicletas em relação ao tamanho da malha viária. De acordo com Luiz Alberto Saboia,secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), quando o prefeito Roberto Cláudio assumiu, a Cidade tinha cerca de 60 quilômetros de rotas ciclísticas. Agora, com quase quatro vezes esse número, o intuito é a expansão. "Fizemos a ciclofaixa na (rua) Nereu Ramos (no bairro Itaperi) e há projetos para desenvolver e estimular mais o trânsito de bicicletas", determina.


O projeto de bicicletas compartilhadas, por exemplo, deve receber um reforço para áreas com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), como o Bom Jardim e a Vila Velha, informou o secretário-executivo. O prazo é até o início de 2019. Já a expansão das linhas de ônibus deve se focar, nos próximos meses, nas regiões da Cidade para onde o fluxo de veículos é maior. A avenida Duque de Caxias e as ruas Pedro Primeiro e Clarindo de Queiroz, por exemplo, estão sendo avaliadas para receber um trinário, ou seja, a maior via, a avenida funcionará no sentido norte e as outras ruas terão o sentido sul. A ideia de um trinário é avaliada e apontada como solução pela Prefeitura desde 2017.


Zeladora no Bairro de Fátima, Rita de Cássia Sousa, 42, pega, todos os dias, pelo menos, três ônibus em um só trajeto: apanha o ônibus Sítio São José, vai até a avenida Aguanambi; em seguida, pega qualquer um dos ônibus que cruze a 13 de maio e, lá, precisa ir ainda em outro coletivo até o trabalho. "Pelo menos eu rodo esse caminho todo com uma passagem só", reflete.

 

SERViço

 

Mês da Mobilidade

 

Bike Anjo - Oficina de Mecânica e Roda de Conversa para Mulheres

Quando: dia 13 (quinta), das 19 às 22 horas

Onde: Casa Cavilosa (rua Fiscal Vieira, 3159 - Joaquim Távora)


Pedal das Minas

Quando: dia 15 (sábado), a partir das 15 horas

Onde: saída da Estátua de Iracema Guardiã (Av. Beira-Mar,1140 - Meireles)


Rota da Mobilidade

Quando: dia 29 (sábado), a partir das 15 horas

Onde: Praça da Imprensa (avenida Desembargador Moreira, esquina com Antônio Sales - Dionísio Torres)

 

TAGS