PUBLICIDADE
Jornal

Seduc critica exclusão de escolas profissionalizantes

Ensino Médio.

04/09/2018 01:30:00
Com nota 3,8 que teve crescimento de 0,4 em relação a de 2015 , o Ceará ficou abaixo da meta prevista (4,3) no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2017.

 

O titular da Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), Rogers Mendes, criticou a Portaria do Ministério da Educação (MEC) nº 447, de 24 de maio de 2017, que, dentre outras alterações do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) firma a exclusão dos dados das escolas de educação profissional no cálculo do índice.

 

Para Rogers, os dados poderiam até não garantir o alcance da meta, mas ajudariam a obter um resultado melhor.

 

"Foi uma perda grande. Aqui (no Ceará), apostamos nesse modelo como principal política de fortalecimento do ensino médio. Com esses dados, a gente cresceria ainda mais", reclama o secretário.

 

Ainda conforme o gestor, foram avaliadas 625 escolas no Ceará, número também informado no resumo técnico do Ideb. Porém, Rogers afirma que 112 escolas, com cerca de 15 mil estudantes, de ensino profissionalizante do Ceará 17,92% das escolas do Estado foram desconsideradas no estudo.

 

No último domingo, os governadores dos estados do Ceará, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Piauí assinaram carta aberta questionando o cálculo do Saeb 2017 referente ao ensino médio das escolas das redes estaduais.

 

No ranking dos 100 municípios mais bem posicionados no ensino médio da rede pública, o Ceará é representado por Ararendá (15º) e Pacujá (19º).

 

TAGS