PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Quando a internet dá uma ajudinha ao "casamenteiro"

| DIA DE SANTO ANTÔNIO | O POVO reúne três histórias de casais que se encontraram através da internet

01:30 | 13/06/2018
JOSY E RODRIGO se conheceram através do Badoo e estão juntos há cinco anos ARQUIVO PESSOAL
JOSY E RODRIGO se conheceram através do Badoo e estão juntos há cinco anos ARQUIVO PESSOAL

Facebook, Instagram, Twitter, Tinder, Happn, Grinder, Eharmony, Tagged. As redes sociais e os aplicativos estimulam os encontros e facilitam o “trabalho” de Santo Antônio, cujo dia é comemorado hoje.

Foi assim que a estudante Camila Andrade, 20 anos, conheceu a sua namorada, Larissa Feitosa, 21. Recém saída de um relacionamento, a estudante instalou o aplicativo de relacionamentos Tinder para conhecer novas pessoas, mas foi no dia 24 de abril de 2017 que ela encontrou seu “match” ideal. “A Larissa foi a única pessoa do Tinder que conheci pessoalmente. Conversamos por duas semanas e marcamos de sair. A partir daí, começamos a ficar, até que, no dia 2 de junho, a pedi em namoro”, conta.

 

“As pessoas dizem que namoro de Tinder não funciona, mas estamos felizes. Sou muito grata ao Tinder por ter colocado ela no meu caminho”, declara Camila.

 

O Tinder localiza as pessoas geograficamente mais próximas, filtrando gênero e orientação sexual. Sua interface traz perfis de várias pessoas, e o usuário escolhe quem “curte”. Se a outra pessoa curtir também, o resultado é um “match” e a dupla pode conversar e se conhecer melhor. Está disponível para os sistemas Android e iOS.

Para o casamento da professora universitária Josy Ramos, 35, e do advogado Rodrigo Rocha, 33, o aplicativo de relacionamentos Badoo foi essencial. Além de uma aposta. “Minhas amigas me desafiaram. Apostaram que, se eu baixasse o aplicativo, em menos de duas horas conheceria alguém”. Dois meses depois ela conheceu Rodrigo, em março de 2013.

Eles estão casados há dois anos e compartilham uma casa com seus três gatos de estimação. “Eu sou engenheira química, ele é advogado. Eu gosto de forró, ele ouve Beatles. Eu sou bem social, ele é mais do tipo ‘nerd’. Mas foram as nossas diferenças que fizeram com que a gente respeitasse a individualidade de cada um”, declara.

O Badoo é um aplicativo de relacionamentos parecido com o Tinder. Uma das diferenças está na opção de chat. Enquanto o Badoo permite mensagem de todos, o Tinder só abre a função quando há interesse (“match”) das duas partes. Disponível para smartphones Android e iOS.

Além dos aplicativos, as redes sociais também aproximam casais. A estudante Bruna Rosa, 17, conheceu sua namorada, Letícia Priori, 20, através do Twitter, em março deste ano. Bruna conta que nunca usou a rede social para procurar namoro, mas se interessou pela Letícia e tomou coragem para puxar uma conversa. “Em uma semana, estávamos completamente apaixonadas, foi bem natural e ela é muito o amor da minha vida”, declara. Bruna, que mora em Santa Catarina, e Letícia, que mora em Goiás, vivem um relacionamento a distância há dois meses.

GABRIELLE ZARANZA