PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Projeto para combater evasão pretende atender 1.500 alunos do 9º ano

| REDE MUNICIPAL | Ambientes diferentes são experimentados no contraturno escolar por meio do Projeto Integração. Iniciativa busca incentivar a frequência e o rendimento dos estudantes

03/04/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )
[FOTO1]

A temporada de atividades extracurriculares para alunos do 9º ano da rede municipal de Fortaleza começou. Para combater a evasão escolar, o Projeto Integração tem a tarefa de levar adolescentes no contraturno das aulas regulares para praticar esportes, ter experiências culturais e participar de aulas extras.


Desde 2015, a parceria entre a Secretaria Municipal da Educação, a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas da Juventude e a Rede Cuca atende alunos que estão prestes a adentrar o ensino médio. Neste ano, pretende receber 1.500 estudantes do 9º ano de 22 escolas da Capital.


Janaína Oliveira, 13, está com altas expectativas para seu tempo no projeto. Conquistar um currículo diversificado é a meta para conseguir dar os primeiros passos em busca do seu sonho: fazer intercâmbio no Japão. A adolescente fará cursos de inglês e de teatro no Cuca Mondubim, aliados às aulas escolares no período da tarde. “Pretendo ter um contato maior com a cultura, assim posso ter experiências novas”, explica.


Segundo o titular da Coordenadoria Especial da Juventude, Júlio Brizzi, é perceptível a mudança no comportamento dos alunos que têm jornada integral de atividades. A melhora na frequência e no rendimento escolar e também na relação com a família são pontos destacados por ele.

 

Além das atividades extracurriculares, os estudantes têm acompanhamento psicossocial em uma iniciativa chamada Projeto de Vida. O momento é utilizado para traçar metas pessoais e sonhos e buscar estratégias para realizá-los.

 

Após o 9º ano, os alunos seguem para o ensino médio e muitos optam por continuar no sistema integral, de acordo com o secretário adjunto da Educação, Jefferson Maia. Ele conta que alguns estudantes também procuram cursos técnicos e profissionalizantes quando chegam aos últimos anos da vida escolar.


Para atingir maior público, a ampliação do Projeto Integração, que começou em 2015 com 300 alunos, deve acontecer gradativamente. Neste ano há parcerias com clubes sociais, com a Faculdade Integrada da Grande Fortaleza e com o Centro Cultural Bom Jardim.

 

Números

 

22 escolas da rede municipal de Fortaleza devem ter alunos de 9º ano participantes do Projeto Integração.

Alexia Vieira

TAGS