PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Licitação para alargar Sargento Hermínio terá propostas analisadas dia 20

| AVENIDA | Com recurso de R$ 25 milhões vindos de parceria entre Prefeitura e Governo do Estado, projeto de duplicação quer melhorar fluidez no trânsito e levar acessibilidade à via

01:30 | 14/04/2018

AVENIDA, de 2,5km de extensão, passa por cinco bairros de Fortaleza EVILÁZIO BEZERRA
AVENIDA, de 2,5km de extensão, passa por cinco bairros de Fortaleza EVILÁZIO BEZERRA
Um trecho de 1,5 km da avenida Sargento Hermínio, entre a avenida Olavo Bilac e a rua Padre Anchieta, nos bairros Monte Castelo e São Gerardo, deve ser duplicado. A Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) abriu, em conjunto com a Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra), no mês de março, uma licitação para definir a empresa que fará a obra. A análise das propostas está marcada para o próximo dia 20. A dona de casa Tânia Parente, 51, moradora do Bairro Ellery, define que o alargamento já vem tarde. “De vez em quando, acontece um acidente aqui. É uma avenida muito estreita e já era para ter alargado faz tempo”.

A verba para a obra é estimada em R$ 25 milhões, vinda do programa Juntos por Fortaleza, uma parceira do Governo do Estado com a Prefeitura. No fim das intervenções, a Sargento Hermínio deve passar a ter toda a sua extensão, de 2,5 km, duplicada.

André Daher, coordenador de Gerenciamento de Projetos da Seinf, informa que, finalizada a licitação e caso não haja demandas judiciais, o prazo para início das intervenções é de dois meses e meio. O tempo para a conclusão da obra é de 18 meses, caso não haja chuvas intensas.

“A (avenida) Sargento Hermínio é um corredor importante, por onde transitam 15 mil veículos por dia e é uma ligação essencial no sentido Leste-Oeste da Cidade”, destaca Daher. Quando concluídas as intervenções, a ideia é que a avenida se torne uma via alternativa à Bezerra de Menezes e à Francisco Sá. A Sargento Hermínio nasce no cruzamento com a rua José Acioly, no bairro Antônio Bezerra, e segue até a rua José Jatahy, no Jacarecanga, cortando ainda os bairros Presidente Kennedy, São Gerardo e Ellery. A ampliação da avenida é demanda antiga da população e teve início há 15 anos, época de gestão do prefeito Juracy Magalhães. De lá para cá, somente 40% das obras foram finalizadas. Em um apartamento na avenida Sargento Hermínio moram cinco irmãs. A mais velha, Francisca Clarice de Oliveira, 92, vai a pé ao supermercado. Na altura do prédio dela, a via ainda é de pista simples. Para chegar ao outro lado, com o trânsito sempre movimentado, a aposentada conta com a ajuda de um semáforo, próximo ao prédio onde mora. O problema é a falta de respeito dos motoristas, que não param no sinal — que não tem fotossensor e, portanto, não gera multa. Ela confia que a obra vai trazer mais facilidade e melhorar o fluxo de veículos na região. “Se for trazer coisa boa, tomara que seja logo. Porque pra gente, que é idosa, é difícil demais passar a pista”.

O medo de João Barros, 53, dono de uma churrascaria no trecho que aguarda alargamento, é de que a ampliação da via tire o ponto comercial dali. “Que vai ser bom não tenho dúvidas. Mas é preciso também se importar com a gente, pequeno empresário que gera emprego”.  

 

NÚMEROS

1,5 Quilômetro é a extensão do trecho que deve passar por obras para concluir alargamento

25 Milhões de reais é o valor estimado da obra, custeada por parceria entre Estado e Município

18 Meses, após iniciada a intervenção, é o prazo para entrega da avenida Sargento Hermínio completamente duplicada

ANGéLICA FEITOSA