PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

Após invasão e vandalismo, escola retoma atividades

| BARRA DO CEARÁ | Alunos da Escola Municipal Dois de Dezembro, invadida no último fim de semana, foram acolhidos com festa ontem. Aulas recomeçam na segunda-feira

03/02/2018 01:30:00
NULL
NULL (Foto: )

[FOTO1]

Estudantes da Escola Municipal Dois de Dezembro, na Barra do Ceará, foram acolhidos com festas nos períodos da manhã e da tarde de ontem. Após uma semana sem aulas, por conta da invasão às salas no último fim de semana, foi a música, a dança, as brincadeiras e os brindes que tentavam fazer as imagens da depredação e das ameaças desaparecerem da mente das crianças. As atividades letivas só serão retomadas na próxima segunda-feira, 5.
 

“Estamos recebendo os alunos com muita alegria e queremos afastar o medo. A paz que reinou nos 14 anos da escola deve retornar”, explica uma funcionária, que preferiu não se identificar.
 

No último fim de semana, a escola teve salas de aula invadidas e as paredes pichadas com ameaças de uma facção criminosa. Por isso, as atividades foram suspensas.
 

Quatro homens da equipe da Guarda Municipal Escolar, em duas viaturas, estão de plantão na unidade durante o período letivo.
 

O titular da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude, Sérgio Louchard, avisa que marcou uma reunião para pedir esclarecimentos à Secretaria Municipal da Educação (SME). Procurada, a pasta informou, por meio de nota, que “já está em diálogo com o promotor” e que medidas já foram tomadas para reforçar a segurança na instituição.

“Se a escola fecha por um motivo que não diz respeito à comunidade escolar, isso coloca a comunidade numa situação de fragilidade”, diz Sérgio Louchard, reconhecendo que a violência contra o patrimônio e contra as pessoas vem na linha da agressão de todo o Estado.

É papel do Ministério Público, ainda de acordo com Louchard, exigir das autoridades estatais posturas proativas a fim de garantir a segurança.
 

“O fenômeno da violência demanda a intervenção do poder executivo estadual com o objetivo de as escolas trabalharem com segurança mínima”, aponta o titular da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude. 


Ainda segundo o promotor, existe a urgência de se estabelecer o perímetro da escola como lugar de paz, inclusive para integrantes das facções criminosas. “A Capital está tão violenta que os números daqui estão proporcionalmente maiores que os do Rio de Janeiro”.
 

Após a invasão, um boletim de ocorrência foi registrado na segunda-feira, 29, no 33o Distrito Policial, na Barra do Ceará. Por nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS) informou que a Polícia Civil investiga os atos de vandalismo e orienta a população a utilizar os canais de denúncia para comunicar qualquer informação que leve aos autores do dano. As denúncias podem ser feitas pelo número 190, da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) ou para o telefone da delegacia: (85) 3101 2512. (Angélica Feitosa) 

 

DENÚNCIA


Polícia Civil orienta a população a comunicar qualquer informação que leve aos autores do dano à escola pelos números 190 (Ciops) ou (85) 3101 2512 (33º Distrito Policial)

TAGS