PUBLICIDADE
Jornal
VERSÃO IMPRESSA

O treino de alta intensidade e os cuidados necessários

São muitos os benefícios anunciados pelo HIIT, no entanto profissionais alertam que há bastante apelo mercadológico em torno do exercício

14/08/2018 13:26:35
 EduCADORES físicos destacam a importância do acompanhamento profissional ao se optar por fazer o treinamento mais intenso
EduCADORES físicos destacam a importância do acompanhamento profissional ao se optar por fazer o treinamento mais intenso (Foto: Mateus Dantas/Mateus Dantas)

Curto tempo de exercício, emagrecimento rápido e melhora nas funções cardiorrespiratórias: são atrativos os benefícios anunciados pelo exercício. Mas conforme profissionais, além de utilizado há bastante tempo em preparações físicas, muitas publicidades podem trazer visões distorcidas e até estimular a realização do treino sem o cuidado adequado.

“Há relatos de treinamento físico com essas características desde a antiguidade, mas o Hiit aplicado de uma forma mais planejada e controlada surgiu como método de preparação para corredores de provas de longa distância no início do século XX”, explica o educador físico Rossman Cavalcante.

De acordo com ele, há diversas variações do exercício, pois todas as variáveis de treinamento podem ser modificadas: o exercício principal, a intensidade, a duração dos estímulos intensos, a duração dos intervalos de recuperação e o volume total do treino. “O que não pode ser alterada é a essência do Hiit, ou seja, sequências de exercícios de intensidade alta ou máxima, intercalados com descanso ou exercícios de baixa intensidade com fins recuperativos”, explica.

O principal estímulo comercial, como já explicado nas outras matérias deste caderno, é o efeito Epoc, o consumo excessivo de oxigênio após o exercício, que estimula que o metabolismo siga acelerado por horas após o treino. “O problema é que esse gasto de energia extra não é tão significativo e nem dura tanto tempo quanto tem sido proclamado. As redes sociais estão repletas de propagandas de queima calórica após 48 horas de exercício. Uma interpretação exagerada e equivocada das pesquisas com óbvios fins comerciais”, critica.

Márcio Oliveira, educador físico com especialização em fisiologia do exercício, concorda que o treinamento intervalado de alta intensidade é utilizado há bastante tempo em preparações físicas e também reflete sobre o uso mercadológico da modalidade. “Infelizmente eu vejo que as pessoa são mal informados a respeito do que de fato é uma preparação física e às vezes acabam se deixando convencer por determinadas nomenclaturas de treinamentos para se sair sobre o mercado de atividade física que hoje é tão amplo e tão cheio de invencionismo”, explica.

Basta uma busca no Youtube para ter acesso a um cardápio inteiros de tutoriais e vídeos demonstrativos, mas a prática é arriscada. Ambos os profissionais defendem que há, sim, diversos benefícios no Hiit, mas as pessoas interessadas têm de passar por avaliação prévia. Conforme Rossman, os riscos da realização do exercício sem acompanhamento são variados, desde a volta ao sedentarismo, pois o esforço de alta intensidade pode gerar um desconforto físico para o qual o praticante não estava preparado; passando por lesões musculoesqueléticas de complexidade variada e até desfechos sinistros. “Pode ocorrer, por exemplo, com alguém que possui uma doença cardíaca de base ainda não diagnosticada e decide se aventurar em esforços extremos para sua capacidade”, conclui Rossman.

SOBRE O HIIT

Conforme o educador físico Rossman Cavalcante, Hiit é a abreviatura em inglês de High Intensity Interval Training (Treinamento Intervalado de Alta Intensidade), ou seja, sequências de exercícios de intensidade alta ou máxima, intercalados com descanso ou exercícios de baixa intensidade com fins recuperativos.

Quais as variáveis do exercício?

1. Intensidade do estímulo

2. Duração do estímulo

3. Modalidade do estímulo

4. Intensidade do descanso/intervalo

5. Duração do descanso/intervalo

6. Número de séries

7. Duração das séries

8. Intervalo entre as séries

9. Intensidade do intervalo entre as séries


Alguns protocolos de Hitt

Tabata: Variações de sete a oito séries com 20 segundos de estímulo e 10 segundos de intervalo.

Timmons: Se diferencia dos outros métodos pelo tempo de descanso mais longo. São três séries com 20 segundos de estímulo intenso e 2 minutos de descanso, geralmente em atividade menos intensa.

Gibala: Dez séries com 60 segundos de atividade e 60 segundos de intervalo. Esse método utiliza geralmente a bicicleta ergométrica, mas pode ser adaptado. É um protocolo bastante implementado com alunos iniciantes devido à intensidade mais baixa

Wisloff: Também com longa duração de exercício. O protocolo funciona com quatro séries com 4 minutos de estímulo e 3 minutos de intervalo. Costuma ter resultado para fins recuperativos em cardiopatias. 

Em quais exercícios o Hiit pode ser aplicado?*

1. Natação

2. Pedaladas

3. Corrida

4. Subida de escadas

5. Agachamentos

6. Pular Corda

7. Flexões

8. Polichinelos

* lembrando que essas são somente algumas das opções

EDUARDA TALICY