PUBLICIDADE
Notícias

Política e desconexão com a realidade

01:30 | 14/05/2018

Você já pensou em voltar no tempo? O Brasil, em quatro anos, conseguiu retroceder em várias políticas consideradas conquistas sociais. Uma delas é o acesso a combustíveis básicos para preparação dos alimentos, como o gás de cozinha. Com o desemprego e a redução do Bolsa Família, ficou mais difícil a sobrevivência, e a saída passa por alternativas mais baratas, como o carvão para preparar os alimentos.


A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra o tamanho dessa jornada ao passado. A reportagem do jornalista João Marcelo Sena, nas páginas 6 e 7, revela que 23,4% dos lares cearenses utilizam carvão ou lenha para cozinhar. Isso representa aumento de 6,8% em relação à mesma pesquisa feita em 2016 (21,9%).


Se os dados já concretizados são desanimadores, as últimas propostas apresentadas pelo governo apontam para uma realidade ainda mais difícil. Foi encaminhada ao Congresso a ideia de limitação da tarifa social de energia elétrica, que dá desconto nas contas de luz das famílias de baixa renda. A economia prevista seria de R$ 800 milhões por ano, pela conta do Ministério de Minas e Energias. Na semana passada, a proposta colocada na Medida Provisória 814 acabou modificada. Foi garantida a tarifa social nas contas de luz de até 80 quilowatts-hora, mas as discussões mostram uma desconexão com a realidade das pessoas na base da pirâmide no Brasil. Talvez esse seja o acelerador da volta ao passado.


PROPOSTA

Foi encaminhada ao Congresso a ideia de limitação da tarifa social de energia elétrica, que dá desconto nas contas de luz das famílias de baixa renda. A economia prevista seria de R$ 800 milhões por ano, pela conta do Ministério de Minas e Energias

 

NEILA FONTENELE

JORNALISTA DO O POVO

neilafontenele@opovo.com.br

 

TAGS