PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Bolsonaro ironiza levantamento da Fenaj sobre ataques à imprensa

Conforme o relatório da Fenaj, a maior parte dos ataques de Bolsonaro foi contabilizada na categoria "descredibilização da imprensa".

09:37 | 20/01/2020
Jair Bolsonaro (Photo by Sergio LIMA / AFP) (Foto: Sergio LIMA / AFP)
Jair Bolsonaro (Photo by Sergio LIMA / AFP) (Foto: Sergio LIMA / AFP)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou o levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) sobre ataques à imprensa. O relatório, divulgado na quinta-feira passada, 16, mostra que 208 ataques a veículos de comunicação e jornalistas foram registrados no ano passado. Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos, segundo a instituição, correspondendo a 58% do total.

O presidente reagiu com ironia pelas redes sociais. Em seu Twitter e Facebook, a legenda ficou por risadas como "KKKKKKKKKKKKKKK" e "HAHAHAHAHAHAHA" junto de uma foto do portal UOL Notícias que divulga informação em um tweet. 

Nos comentários da publicação no Twitter, o deputado estadual cearense André Fernandes ironizou o tweet. "É verdade esse bilhete, eu estava lá e eu era os ataques...", comentou. Em outras publicações em seu perfil, André parabenizou Bolsonaro pela demissão do então Roberto Alvim, o Secretário Nacional de Cultura, demitido após apologia a propaganda nazista.

Conforme o relatório da Fenaj, a maior parte dos ataques de Bolsonaro foi contabilizada na categoria "descredibilização da imprensa". "Em 2019, a modalidade tornou-se a principal forma de ameaça à liberdade de imprensa no Brasil e foi incluída no relatório diante da institucionalização da prática", disse a Fenaj.

Com informações da Agência Estado