Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Rafael Pereira e Gabriel Constantino ficam de fora da final dos 110m com barreiras em Tóquio 2020

Os dois ficaram de fora da disputa por medalha na modalidade
23:42 | Ago. 03, 2021
Autor - Gazeta Esportiva
Foto do autor
- Gazeta Esportiva Autor
Tipo Notícia

Gabriel Constantino e Rafael Pereira disputaram a semifinal dos 110m com barreiras em Tóquio 2020, mas não conseguiram se classificar para a grande decisão da modalidade. Enquanto o primeiro brasileiro ficou na última posição de sua bateria, o segundo terminou a prova na sexta colocação.

Gabriel esteve na primeira das três baterias da semifinal. Competindo na raia três, o brasileiro não fez uma boa largada e não conseguiu se recuperar até o final, terminando na oitava e última colocação de sua série, com o tempo de 13s89.

Na terceira bateria, foi a vez de Rafael competir. Na raia de número cinco, o brasileiro não fez um início de prova ruim, porém não manteve o ritmo e ficou para trás, terminando na sexta posição de sua série, com o tempo de 13s62.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ana Marcela Cunha comemora medalha de ouro nas Olimpíadas: "Acreditem nos seus sonhos"

Jogos Olímpicos
23:40 | Ago. 03, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após conquistar a medalha de ouro na maratona aquática nas Olimpíadas de Tóquio nesta terça-feira, 3, Ana Marcela Cunha falou sobre a satisfação de finalmente estar no lugar mais alto de um pódio olímpico.

"Finalmente. Eu fui muito nova em 2008 e agora é meu quarto ciclo olímpico, vindo de uma não classificação, uma frustração no Rio e um amadurecimento muito grande para chegar até aqui. Só posso dizer para que todos acreditem nos seus sonhos. Estou muito, muito feliz”, declarou Ana Marcela.

A maratonista aquática já havia participado de outras duas Olimpíadas, mas ficou em 5º lugar em Pequim 2008 e em 10º nos jogos do Rio de Janeiro 2016.

“Eu tinha falado para o Fernando (Possenti, seu treinador) que para ganhar de mim teria que nadar muito, pois eu sabia que estava muito bem preparada. Fiz a minha prova do jeito que eu queria e fui muito feliz”, completou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas de Tóquio: brasileiras avançam à final do skate park feminino

Jogos Olímpicos
23:26 | Ago. 03, 2021
Autor Gabriel Lopes
Foto do autor
Gabriel Lopes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após estrear na última semana em Jogos Olímpicos, o skate retornou a Tóquio para outra modalidade, o park. A fase qualificatória aconteceu na noite desta terça-feira, 3, e teve a participação de três brasileiras. Yndiara Asp e Dora Varella conseguiram concretizar duas das oito melhores notas e se classificaram à final. Isadora Pacheco, por sua vez, não alcançou a decisão.

Yndiara teve, após as três tentativas permitidas, a nota de 43.23 e ficou na sétima posição geral. Dora, por sua vez, alcançou a marca de 41.59 e foi a oitava colocada. Isadora teve um 37.08 como melhor performance e ficou em décimo.

A decisão do skate park feminino tem início à 0h30min (horário de Brasília) e as três primeiras garantem lugar no pódio olímpico.

Além das brasileiras, estarão na final Sky Brown (Grã-Bretanha), Kokona Hiraki (Japão), Sakura Yosokumi (Japão), MIsugu Okamoto (Japão), Bryce Wettstein (Estados Unidos) e Poppy Olsen (Austrália).

Rayssa Leal, a Fadinha, conquista a prata no skate street para o Brasil em Tóquio 2020

Kelvin Hoefler conquista a prata no skate, a primeira medalha para o Brasil em Tóquio 2020

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Alison e Álvaro perdem para dupla da Letônia e estão eliminados no vôlei de praia de Tóquio 2020

Jogos Olímpicos
22:43 | Ago. 03, 2021
Autor Wanderson Trindade
Foto do autor
Wanderson Trindade Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os brasileiros Alison e Álvaro perderam para a dupla da Letônia nas quartas de final das Olimpíadas de Tóquio 2020. Com isso, o Brasil está eliminado e sem representantes nas finais da modalidade nos Jogos do Japão.

Alison e Álvaro foram superados pelos europeus Plavins e Tocs por 2 sets a zero.

Essa é a primeira vez na história do vôlei de praia Olímpico em que o Brasil não conquista nenhuma medalha sequer tanto no masculino como no feminino. O esporte está nos Jogos Olímpicos desde 1996.

 

OLIMPÍADAS DE TÓQUIO: CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

É ouro! Ana Marcela Cunha conquista medalha na maratona aquática nas Olimpíadas de Tóquio

Jogos Olímpicos
20:30 | Ago. 03, 2021
Autor Gabriel Lopes
Foto do autor
Gabriel Lopes Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O início da noite desta terça-feira, 3, no Brasil, começo da manhã no Japão, teve a conquista de mais uma medalha para o Brasil. A nadadora baiana Ana Marcela Cunha terminou em primeiro lugar na maratona aquática, com 10 quilômetros de distância, e ficou com o ouro.

Ana Marcela finalizou a prova com o tempo de 1:59:30.8, 0.9 a mais que a segunda colocada da competição.

A neerlandesa Sharon van Rouwendaal, com marca de 1:59:31.7, ficou em segundo lugar e levou a prata, enquanto Kareena Lee, da Austrália, com 1:59:32.5, completou o pódio e conquistou o bronze.

Essa é a quarta medalha de ouro do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio e a 15ª no total, somando com as pratas e os bronzes.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com duas medalhas olímpicas, Thiago Braz entra em lista com lendas do atletismo brasileiro

Jogos Olímpicos
19:33 | Ago. 03, 2021
Autor Gazeta Esportiva
Foto do autor
Gazeta Esportiva Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Nesta terça-feira, 3, o brasileiro Thiago Braz faturou o bronze no salto com vara nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Campeão da modalidade no Rio, em 2016, Braz igualou outros oito atletas brasileiros na história após a conquista no Japão.

Adhemar Ferreira da Silva é o único da história do atletismo brasileiro que faturou dois ouros: venceu no salto triplo em 1952 e 1956.

Nos 800m rasos, Joaquim Cruz foi ouro em 1984 e prata em 1988. Nelson Prudêncio, no salto triplo, foi o segundo em 1968 e ganhou o bronze quatro anos depois. Já Robson Caetano ganhou bronzes nos 200m rasos em 1988 e no revezamento 4x100m rasos em 1996.

André Domingos e Édson Luciano conquistaram a medalha de prata no revezamento 4x100m em 2000 e o bronze em 1996. Vicente Lenilson fez parte do primeiro triunfo e também venceu o bronze em 2008. Por fim, João do Pulo foi o terceiro colocado no salto triplo em 1976 e 1980.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags