PUBLICIDADE
Mais Esportes
NOTÍCIA

Hamilton vence GP e sobe ao pódio com camisa que pede justiça nos casos de violência policial nos EUA

A corrida deixou o piloto a apenas uma vitória de bater o recorde de maior vitórias nos grandes prêmios atualmente de Michael Schumacher

Alan Magno
16:20 | 13/09/2020
Hamilton conquista 90ª vitória na Fórmula 1 e sobe ao pódio em protesto contra a violência policial contra negros nos Estados Unidos (Foto: JENNIFER LORENZINI / POOL / AFP)
Hamilton conquista 90ª vitória na Fórmula 1 e sobe ao pódio em protesto contra a violência policial contra negros nos Estados Unidos (Foto: JENNIFER LORENZINI / POOL / AFP)

O Grande Prêmio (GP) de Tosca, região turística da Itália, ocorreu neste domingo, 13, e concedeu mais uma conquista ao piloto Lewis Hamilton. Ele agora soma 90 vitórias nos GP da Fórmula 1 e fica apenas um pódio atrás do recorde de Michael Schumacher. Ao ser chamado para receber o prêmio de primeiro lugar, Hamilton realizou mais um protesto a favor da causa do movimento negro, que vem denunciando casos de violência policial nos Estados Unidos motivados por racismo.

O piloto usava uma camisa preta com a frase: "Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor". A jovem estava em casa quando policiais invadiram seu apartamento e dispararam sucessivamente contra ela, em março deste ano. Além da frase, a camisa trazia ainda o rosto de Breonna. Antes de ser condecorado, Hamilton se virou de costas para que as câmeras focassem na imagem.

A equipe do piloto também participou dos protestos. Usando camisas pretas com a frase "fim ao racismo", parte dos técnicos, mecânicos e engenheiros de suporte da Mercedes ao piloto se colocaram ao lado de Hamilton. Ao fim da corrida, eles se posicionaram em linha. Alguns, ao lado de Hamilton, chegaram a se ajoelhar em referência ao movimento "Vidas Negras Importam". 

Ao lado de Hamilton estava seu colega de equipe Valtteri Bottas, que conquistou o segundo lugar do pódio também pela Mercedes. Em terceiro lugar, o piloto Alexander Albon, pela RBR. .

DUAS BANDEIRAS VERMELHAS E OITO PILOTOS PREJUDICADOS

A corrida deste domingo teve ainda um marco perigoso. Foram duas bandeiras vermelhas, sistema que paralisa totalmente o circuito por causa de acidentes nas pista. No total, ocorreram duas batidas que atingiram sete competidores durante a prova. Um piloto enfrentou problemas no carro e também se envolveu em um acidente.

O primeiro acidente ocorreu ainda na primeira volta e afetou o piloto Kimi Raikkonen (Alfa Romeo). Também envolvidos nessa batida, Ati Max Verstappen (Red Bull) e Pierre Gasly (Alpha Tauri) não conseguiram retornar à corrida devido ao estado dos carros após o acidente. Dando sequência aos problemas enfrentados pelos pilotos, na sexta volta ocorreu o segundo acidente, que envolveu quatro pilotos diferentes.