PUBLICIDADE
Mais Esportes
NOTÍCIA

Cearense fatura mundial de luta livre e está de olho no bicampeonato brasileiro de muay thai

Aos 40 anos, lutador Marcos Mota se divide entre campeonatos e projetos sociais que conduz em Fortaleza

22:34 | 18/07/2019
Marcos Mota é graduado em quase dez tipos de luta
Marcos Mota é graduado em quase dez tipos de luta(Foto: Alex Gomes/O Povo)

O cinturão que Marcos Mota exibe cheio de orgulho foi conquistado no dia 7 de julho, em Manaus. O objeto é a representação maior de um título internacional. Lutando na categoria que varia de 85kg a 92kg, o cearense de 40 anos sagrou-se campeão do 3º campeonato mundial de luta livre esportiva, chancelado pela Confederação Brasileira de Luta Livre Esportiva (CBLLE). O evento contou com 900 lutadores de 17 países.

Ele precisou superar quatro adversários para trazer o cinturão para casa e por pouco não trouxe mais um na bagagem. No categoria absoluto (em que não há diferenciação por peso), Marcos Mota também subiu ao pódio, sendo vice-campeão. Dessa vez ele fez uma luta a menos e a explicação é divertida. “Meu adversário na final era de uma categoria muito acima e como na luta livre o peso faz toda diferença, decidi que ser segundo não é tão ruim”, brinca o lutador.

Quem olhar a prateleira do Marcos, no entanto, nem vai notar um título a menos. Medalhas, troféus e cinturões não faltam para ele, que já faturou mais de cem etapas cearenses de Karatê e é o atual campeão brasileiro de Muay Thai na categoria em que concorre. Título que vai defender em setembro, no Espírito Santo, quando volta a lutar a competição organizada pela Confederação Brasileiro de Muay Thai e Muay Boran. A competição será disputada por 67 atletas.

Até lá, Marcos segue se preparando e tocando os projetos sociais que mantém em Fortaleza. Advogado por formação, vive em função das artes marciais. Tem graduação máxima em diferentes modalidades e dá aulas de Luta Livre, Muay Thai, Karatê, Judô, Jiu Jitsu, Krav Magá e kick boxing em bairros como Henrique Jorge e Jardim Iracema, por exemplo. De forma gratuita, atende cerca de 170 crianças.

Esse trabalho voluntário chamou a atenção da Prefeitura de Fortaleza, que integrou artes marciais nas dentre as modalidades oferecidas à população e convidou Marcos para ser um dos instrutores.

Além disso, o lutador mantém um CT e faz parte da equipe Guilhotina Fight, que tem filiados espalhados por todo o Brasil. “Meu foco agora é ser novamente campeão brasileiro de Muay Thai. Tenho o apoio da minha esposa, que é preparadora física e agora busco patrocínios para a viagem. Quero aumentar meu acervo de conquistas”, garante Marcos.

O Povo