Novak Djokovic comprova evolução e volta ao topo do ranking mundialMais Esportes | Esportes O POVO 

PUBLICIDADE
Esportes


Novak Djokovic comprova evolução e volta ao topo do ranking mundial

Dois anos se passaram, lesões atrapalharam, derrotas dificultaram, mas Novak Djokovic está mais uma vez no topo do tênis. Na última segunda-feira, na primeira atualização de novembro do ranking da ATP, o sérvio reassumiu a liderança ultrapassando Rafael Nadal, que não joga mais nesta temporada, chegou aos 8.045 pontos e recuperou o ?reinado? que não [?]

12:45 | 07/11/2018

Dois anos se passaram, lesões atrapalharam, derrotas dificultaram, mas Novak Djokovic está mais uma vez no topo do tênis. Na última segunda-feira, na primeira atualização de novembro do ranking da ATP, o sérvio reassumiu a liderança ultrapassando Rafael Nadal, que não joga mais nesta temporada, chegou aos 8.045 pontos e recuperou o ?reinado? que não detinha desde o dia 6 de novembro de 2016, quando foi superado por Andy Murray.

Considerado uma das referências do tênis na atualidade, Djokovic teve um ano de 2017 para ser esquecido. Depois de sucessivas glórias entre 2014 e 2016, justamente até perder o topo do ranking, o agora líder do tênis não venceu nenhum grande torneio na temporada passada e ainda teve de lidar com quedas precoces e desistências, como nas quartas de final de Wilbledon.

E logo depois de deixar a competição em solo inglês, o sérvio, no dia 26 de julho, optou por dar fim a sua temporada. A justificativa: tratar a lesão no cotovelo, que assombrou seu desempenho, e recuperar o bom tênis. Em 2017, foram dois títulos em ATPs 250 (Doha, em janeiro, e Eastbourne, em junho). Ambos, porém, não estão em um primeiro nível do circuito.

Aparentemente recuperado, Djokovic voltou à ativa logo em janeiro de 2018 para a disputa do Aberto da Austrália. Porém, as dores voltaram a atrapalhar e forçaram o tenista a ficar cerca de mais dois meses fora. Em março, o sérvio retornou para o Masters 1000 de Miami e, em entrevista, afirmou estar livre de problemas físicos e pronto para retomar o posto que teve um dia.

Para quem duvidou, Novak conseguiu. Wimbledon, Aberto dos Estados Unidos, Masters de Shangai e Cincinnati, todos no posto mais alto do pódio. E com isso, uma evolução no ranking ao ponto de assumir o topo e ambicionar recordes. O primeiro, inclusive, já foi alcançado, com Djokovic tornando-se o primeiro tenista fora do top 20 a atingir o primeiro lugar no mesmo ano desde Marat Safin, em 2000.

Restando apenas o ATP Finals para ser disputado, Djokovic está muito próximo de confirmar mais um feito. Desde Andre Agassi, em 1999, nenhum tenista teve um ranking tão ruim e terminou a temporada na liderança.

Gazeta Esportiva

TAGS