Invicto na Superliga, SESC encara Minas em duelo especial para GiovaneMais Esportes | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Invicto na Superliga, SESC encara Minas em duelo especial para Giovane

Quatro jogos, quatro vitórias e invicto até agora na Superliga masculina 2018-2019. Terceiro colocado na tabela de classificação (12 pontos e dois jogos a menos que o líder Cruzeiro-MG), o SESC-RJ volta à quadra na noite deste sábado, dia 24, para receber o Minas Tênis Clube (MG) no confronto que começa às 21h30min (horário de [?]

13:15 | 23/11/2018

Quatro jogos, quatro vitórias e invicto até agora na Superliga masculina 2018-2019. Terceiro colocado na tabela de classificação (12 pontos e dois jogos a menos que o líder Cruzeiro-MG), o SESC-RJ volta à quadra na noite deste sábado, dia 24, para receber o Minas Tênis Clube (MG) no confronto que começa às 21h30min (horário de Brasília), na Arena da Barra, válido pela sexta rodada do primeiro turno da competição.

Giovane, que em outubro conquistou seu primeiro título como técnico da Seleção Brasileira sub-21 (Campeonato Sul-Americano), vai enfrentar o sexto colocado da competição (3v2d) mas, mais do que isso, alguém que conhece bastante: Nery Tambeiro, seu auxiliar na equipe nacional, que estará na beira da quadra do outro lado da rede.

?O Minas tem como característica uma defesa muito boa, uma marca do Nery, e é sempre um bom jogo. Precisamos ter paciência e tranquilidade no ataque para jogar bem, ter bom aproveitamento. É sempre bom jogar contra ele, vê-lo comandando uma boa equipe, sendo um protagonista. Estamos juntos há um tempo, já vivemos coisas boas e ainda há muitas coisas pela frente, é um privilégio tê-lo ao meu lado na Seleção Brasileira, ajudando na formação desses jovens talentos. Temos uma sintonia fina, mas contra o Minas, ficamos na beira da quadra, o mais importante é a ?batalha? que acontece ali dentro e cada um vai fazer o melhor para sair com a vitória?

Sobre a competição nacional, Giovane reforça o discurso do equilíbrio e aposta na força do seu grupo, que teve a chegada do ponteiro Wallace, medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos Rio-2016, mas não conta ainda com o búlgaro Rosalin Penchev e com o campeão olímpico Maurício Borges ? este, com previsão de retorno para janeiro após cirurgia no joelho direito.

?Essa Superliga vem se desenhando como uma das mais equilibradas, senão a mais equilibrada de todos os tempos. Temos seis, sete equipes em condições de lutar pelo título, e detalhes podem fazer você chegar numa final ou ser eliminado numa fase de playoffs. Reforçamos a equipe, trouxemos atacantes, como o Wallace, um dos melhores do mundo, estamos ansiosos pela volta do Maurício, que é um jogador importante, e conseguimos montar um time com muita qualidade também no banco de reservas, para podermos crescer ao longo do campeonato?, disse o bicampeão olímpico (Atenas-2004 / Barcelona-1992).

Gazeta Esportiva

TAGS