WTA defende Serena e pede tratamento igual para homens e mulheresMais Esportes | Esportes O POVO 

PUBLICIDADE
Esportes


WTA defende Serena e pede tratamento igual para homens e mulheres

No último sábado, a tenista Serena Williams acabou sendo derrotada na decisão do Us Open para a japonesa Naomi Osaka numa partida marcada sobretudo pela polêmica. Após sofrer algumas punições pelo seu comportamento, a norte-americana acusou o árbitro português Carlos Ramos de sexismo. Nesta segunda, o presidente da Associação de Tênis Feminino (WTA), Steve Simon, publicou uma nota em [?]

09:30 | 10/09/2018

No último sábado, a tenista Serena Williams acabou sendo derrotada na decisão do Us Open para a japonesa Naomi Osaka numa partida marcada sobretudo pela polêmica. Após sofrer algumas punições pelo seu comportamento, a norte-americana acusou o árbitro português Carlos Ramos de sexismo.

Nesta segunda, o presidente da Associação de Tênis Feminino (WTA), Steve Simon, publicou uma nota em que defendeu a atleta, reafirmando o desejo da instituição de que os atletas masculinos e femininos possuam o mesmo tratamento dentro de quadra.

?A WTA acredita que não deve haver diferença nos padrões de tolerância fornecidos às emoções expressas por homens versus mulheres e está comprometida em trabalhar para garantir que todos os jogadores sejam tratados da mesma forma. Não acreditamos que isso tenha acontecido ontem à noite?, garantiu o mandatário.

Durante a decisão do último Grand Slam do ano, Serena recebeu três punições por violações ao código de conduta do esporte. A primeira aconteceu por ter recebido instruções de seu treinador durante a partida, algo proibido no tênis. Depois ele acabou quebrando uma raquete no chão e a última após ter insultado o árbitro chamando-o de ladrão e mentiroso. As ações da tenista acabou custando a ela um game.

Posteriormente, na entrevista coletiva concedida logo após a partida ter sido encerrada, Serena voltou a criticar o árbitro chamando-o de sexista, alegando que só sofreu as punições por ter sido mulher e que homens com aquele comportamento não sofreriam punições. Ela acabou multada pela organização do evento em US$ 17 mil (cerca de R$ 70 mil) .

Gazeta Esportiva

TAGS