Brasiliense é o único brasileiro a participar de competição mundial na ItáliaMais Esportes | Esportes O POVO
PUBLICIDADE
Esportes


Brasiliense é o único brasileiro a participar de competição mundial na Itália

O ciclista brasiliense João Vitor Fernandes de Oliveira, de 26 anos, é o único atleta brasileiro a participar da quinta edição do UCI Granfondo World Championships 2018, uma das maiores competições da categoria no mundo. O evento ocorre de 30 de agosto a 2 de setembro, em Varese, na Itália. É a quarta vez que [?]

15:15 | 29/08/2018

O ciclista brasiliense João Vitor Fernandes de Oliveira, de 26 anos, é o único atleta brasileiro a participar da quinta edição do UCI Granfondo World Championships 2018, uma das maiores competições da categoria no mundo. O evento ocorre de 30 de agosto a 2 de setembro, em Varese, na Itália. É a quarta vez que João Vitor participa da competição, cujas últimas edições ocorreram na Dinamarca, Austrália, França e Eslovênia, respectivamente.

Ao todo, são 2.313 atletas de 59 nacionalidades, classificados em 20 eventos realizados este ano, ao redor do mundo. O ciclista brasiliense classificou-se duas vezes: no México, onde foi campeão em julho de 2018; e em Dubai, onde conquistou a segunda posição, em dezembro de 2017.

O campeonato trata-se do maior e mais importante evento de Granfondo, que reúne os atletas mais importantes do cenário profissional de diversas nacionalidades e ainda permite acesso aos principais atletas amadores do esporte, todos em busca do mesmo título. A modalidade foi originada na Itália, em 1970, e o seu trajeto possui 120 km no mínimo. Com um bom nível de dificuldades técnicas no percurso, a categoria tem o intuito de selecionar os melhores e mais completos competidores do mundo.

Caçula de uma família de três filhos, João Vitor diz ter sido influenciado pelo irmão Luis Felipe, de 30 anos, que é administrador e há muitos anos pedala nos finais de semana, fazendo trilhas e longos pedais pela região circunvizinha a Brasília. ?Comecei a pedalar em 2006 e, dois anos depois, já estava competindo em provas locais. Nesta época, entrei para a equipe de base da Caloi, no interior de SP, e comecei a competir no Brasil inteiro?, conta o atleta, lembrando que, no início, a prática se dava pelo simples prazer e pela sensação de liberdade trazida pela bike.

Entre os principais títulos de João Vitor, destacam-se:o Prêmio Brasília, de melhor atleta da categoria por dois anos seguidos (2016 e 2017); atual campeão mundial de Contra Relógio  UCI Granfondo World Series (México, 2018); vice-campeão UCI Granfondo World Series (Dubai 2018); campeão mundial UCI Granfondo World Series em 2017 (México); e melhor atleta latino americano na Final do Mundial de Granfondo UCI (UCI Granfondo World Championships) na França, no ano passado.

Na competição de Varese, que começa nesta quinta-feira (30), o atleta vai participar da largada ?Contra Relógio Individual?, de 23km, no próprio dia 30; e da Granfondo, que somará 146km a serem percorridos no dia 2 de setembro. Seu melhor tempo em circuitos parecidos foi de 3h25min, em junho de 2017, quando venceu o Granfondo de Campeche, no México.

Treinando de três a seis horas por dia na bike, e quatro vezes por semana em academia, João Vitor Oliveira vive hoje do Ciclismo. ?Tenho direcionado a minha carreira para as competições de nível internacional, mas ainda disputo muitas provas no Brasil também?, contextualiza

O ciclismo exige muito do atleta, apesar de ter que manter um peso baixo, a alimentação possui um alto teor calórico, se comparado com outros esportes. A ingestão calórica fica na casa das 4.000 a 5.000 calorias por dia, mais do que o dobro de uma pessoa normal, podendo ser ainda maior nos dias de corrida?, explica.

Segundo João Vitor Oliveira, a corrida da Itália promete ser a mais dura até agora. Isso por que o país é o berço do Ciclismo, os melhores nomes do ciclismo são de lá, assim como as provas tendem a ser mais duras e épicas. O percurso foi montado para ser o mais seletivo possível para uma prova de um dia, com três montanhas e alguns trechos de terra e paralelepípedos. ?Estou numa fase muito boa e consegui seguir o plano de treinos de forma perfeita, sem contar o fato de que estou vindo de uma vitória na prova classificatória do México, o que me faz acreditar que eu esteja bem preparado para brigar pelo título?, afirma.

Gazeta Esportiva

TAGS