PUBLICIDADE
Esportes

FIBA retira punição da CBB e Brasil pode retornar às competições

A Federação Internacional de Basquete (FIBA) anunciou oficialmente o fim da suspensão imposta ao Brasil, na qual impedia a equipe brasileira de disputar torneios internacionais, como consequência dos inúmeros problemas da gestão anterior. Criada em outubro do ano passado, esta punição já havia sido aliviada anteriormente ao permitir que o país disputasse as eliminatórias para [?]

12:45 | 18/06/2018

A Federação Internacional de Basquete (FIBA) anunciou oficialmente o fim da suspensão imposta ao Brasil, na qual impedia a equipe brasileira de disputar torneios internacionais, como consequência dos inúmeros problemas da gestão anterior. Criada em outubro do ano passado, esta punição já havia sido aliviada anteriormente ao permitir que o país disputasse as eliminatórias para a Copa do Mundo.

A publicação oficial da FIBA diz: ?O Comitê Executivo da FIBA anunciou sua decisão de encerrar permanentemente a suspensão da Confederação Brasileira de Basketball (CBB), reconhecendo os passos positivos dados pela nova administração da CBB. O Comitê Executivo também concordou que a FIBA prestasse assistência à CBB com relação às principais áreas de atividade, onde a melhoria e as conformidades são necessárias.

?É uma grande vitória. Desde que me candidatei à presidência da CBB sabia que esse era o primeiro grande obstáculo a enfrentar. E graças a um árduo e constante trabalho de toda a minha equipe posso entregar essa promessa que fiz na campanha e ter a certeza de que estamos no caminho certo para reerguer o basquete brasileiro?, disse o presidente da CBB Guy Peixoto.

Ao lado do Secretário-Geral da CBB, Carlos Fontenelle, Guy esteve em Mies, na Suíça, entre os dias 13 e 16 de junho, participando de mais um encontro periódico promovido pela FIBA, e saiu satisfeito da reunião.

?Mostramos à FIBA que seguimos firmes em nossas propostas e dentro de todas as conformidades. Só temos a comemorar o momento e renovar nossas forças para que a CBB seja um modelo de implementação das melhores práticas e uma confederação modelo para as Américas. Agora é seguir em frente para fazer com que o basquete brasileiro reassuma sua posição de destaque nos cenários nacional e internacional?, finalizou Guy Peixoto.

Gazeta Esportiva

TAGS